8 de março de 2008

Lição...Sorriso!

Escrever após uma frustrante eliminação não é fácil. Felizmente a tarefa não me coube a mim. Por isso, a habitual antevisão do jogo do FCP vem, mais uma vez, pela pena do Bruno Rocha...

"Esperanças vãs, sorte madrasta, infortúnio do destino, malapata, revés ébrio dos Deuses da bola, por esses blogs, crónicas e apreciações ao futebol dos Dragões, mais que dirimir este ou aquele argumento a tónica assentou na vertente mais ou será menos pragmática de um jogo… a Sorte. Tal como eu muitos estarão ainda a digerir ou a tentar adocicar o travo amargo da 4ª feira milionária, sendo que o desporto rei não se compadece com mentes fracas, espíritos acossados pelo negativismo, não será menos verdade que esta eliminatória deixará por certo cravada na pele do Dragão marcas que não indeléveis poderão ressuscitar alguns fantasmas do passado. Até Domingo será tortuoso o caminho para o Olival, serão penosas e recatadas as horas ate que voltem a mesma relva onde sucumbiram face aos Bávaros. Trabalho hercúleo será o de animar as tropas para nova batalha agora numa frente de combate bem menos apetecível e onde este guerreiros se mostram fortes demais para os restante adversários.

Sem tempo para lamber feridas e retemperar forças, a Bwin trás ao Dragão os estudantes do nosso bem conhecido Domingos, equipa macia em momento defensivo, tem contudo curiosidades tácticas bem consentâneas com o trabalho do seu líder. A Briosa é uma formação que pressiona alto, faz subir o seu bloco e fruto desse avançar de linhas é uma equipa que leva 13 jornadas a fio a fazer golos, só por si sinal de que há que estar em alerta máximo no ultimo reduto para que a surpresa não irrompa e se mantenha inviolável a baliza que leva no anfiteatro azul perto de 1000 minutos sem conhecer um golo adversário. Os academistas ainda na luta desenfreada pela manutenção navegam ainda assim de forma desafogada e não fora a sua inexperiência e plantel jovem podiam ter uma mão cheia de pontos a mais que os que somam na tabela, somam 4 jornadas sem conhecer a derrota, e no pós mercado de inverno apesar de verem sair por regresso a casa mãe Hélder Barbosa, conseguiram ainda assim reforçar-se as custas do Fcporto, Edgar é agora o farol da frente de ataque estudantil e Luís Aguiar vai tendo mais oportunidades que as conquistadas na Reboleira.

A verdade é que mesmo com tudo isto os de Coimbra não sabem o que é vencer na cidade da Invicta, e salvo qualquer ressalva e melhor memória Pedro Roma é dos Guarda Redes mais batidos e que passam por maiores tormentos nas visitas aos Azuis e brancos, o que a somar ao autoritarismo e dinâmica de vitoria que este Porto tem apresentado a jogar intra muros nos remete para este ser um desafio que vem mesmo a calhar. Diz-me a experiencia que apesar de tudo hoje e nos tempos que correm já não há facilidades e apesar de não duvidar do sentimento portista de Domingos Paciência este não enjeitará por certo a oportunidade de ganhar e somar mais 3 pontos. Estes embates entre provas uefeiras, somados a dor do desaire é um pau de 2 bicos, se por um lado a melhor maneira de esquecer é voltar a jogar e o quanto antes, por outro o desaire confere sempre um esvaziar do balão da moral, das elevadas expectativas, que por vezes catapultam os jogadores para performances de superação pessoal.

É pois no meio desta dicotomia de pensares que me encontro face ao embate de Domingo, tal e qual como um tolinho no meio da ponte, não sei bem para onde penda o meu perspectivar da partida, com Bosingwa subtraído ao onze por força de nova lesão, com muitos dos habituais titulares esmagados pelas centenas de kms percorridos frente ao Schalke, com o Magic Gipsy entregue ao trinómio de bom, mau e vilão, Tarik e a cabeça apontada à Meca do desperdício, Farias a tentar desatar os nós das encruzilhadas do golo, sem saber o que vale em termos psíquicos um penalty falhado pelo artilheiro mor do campeonato, quase era tentado a dizer que para alem das vestes negras do onze, o fim de tarde domingueiro tem assim tudo para adensar ainda mais as nuvens negras de chuva que se prevêem cair a norte.

Invernia à parte, realisticamente e deixando de lado pesarismos exacerbados, creio que com maior ou menor dificuldade este obstáculo será ultrapassado, o Dragão sabe que tem o titulo na palma da mão e que lhe basta uma mão cheia de vitórias para desde logo confirmar o Tri, se este não for motivo suficiente para entrar de cabeça erguida então não serão dignos de envergar o emblema do Dragão. Com uma outra escolha dos onze por parte do mister Jesualdo, os estudantes habilitam-se mesmo a pagar a factura e a serem no relvado do Dragão as cobaias do Mestre para a lição que devolverá a todos os adeptos o sorriso. Aposto, e se fosse eu o detentor da autoridade de escolha para este jogo fazia subir ao palco Helton, Fucile, B.Alves, P. Emanuel, Cech, R. Meireles. P. Assunção, Lucho, Tarik, Lisandro e Farias….mas se bem vou percebendo o técnico das cores campeãs, vão ser outros a devolver-nos o sorriso.

Bruno Rocha"

5 comentários:

Anónimo disse...

O caminho para esquecermos rapidamente o jogo com os alemães passa por uma boa exibição e vitória frente à Académica. É bom que eles não se esqueçam que o campeonato ainda não está ganho. Faltam saídas a Belém, Setubal e Guimarães.
Quanto à equipa para amanhã, não concordo com a saída de Quaresma. Falhou o golo da qualificação, mas lutou bravamente como os outros. Devemos muito a Quaresma, esta época.

Eu até incluía no onze o Mariano. Tem estado raçudo e subido de forma, ao contrário do Farias.

Carlos Soares

bruno sousa disse...

Oi, deixem-se de por abaixo o FCP, Quaresma, etc. FALHAMOS...em 2 jogos. Isso e penalizante. NAO temos que apontar o dedo a ninguem menos a nos proprios. O Schalke fez o seu trabalho, nos nao. ERROS que custam mas servem de liccao. Agora para o ano, e espero com outro treinador, passamos aos Quartos. FORCA PORTO!!!

dragao vila pouca disse...

Faltou sorte e eficácia.
Amanhã vai ser difícil, mas, os grandes lideres, os grandes homens, os grandes profissionais vêem-se nos momentos de maiores dificuldades...gerir o sucesso é fácil, gerir o insucesso é só +para os melhores.
Ah, isto aplica-se a nós adeptos.
Um abraço

dragao vila pouca disse...

Desculpas ao B.Rocha, mas, tinha de deixar aqui isto.Paulo, eu é que agradeço o teu comentário que completa o meu post.
Sem paternalismos quero-te dizer que me fazes lembrar a forma como eu vivia o F.C.Porto quando tinha a tua idade. Tenho a certeza que também invadias a pista do aeroporto.
Um abraço

Dragaoatento disse...

Olá! Todos aqueles que amam o FCP são meus Amigos.
Quanto a mim,e em princípio, só o Técnico,porque é profissional, porque convive com os jogadores e por tal motivo sabe quem está melhor preparado física e psicològicamente, é que tem competência para determinar quem deve jogar e quem não deve.
Depois do jogo realizado,então, nós treinadores de bancada, poderemos especular, dissertando sobre quem devia ter jogado,afirmar que este ou aquele jogador talvez tivesse feito melhor,ou até executar um ou outro exercício táctico.
And good Luck for today evening 19H00.
Cumprimentos a todos os Dragões,
www.dragaoatento.blogspot.com