9 de fevereiro de 2008

A Justiça que temos...

Lê-se e não se acredita. Pelo menos à primeira. Passa-se novamente os olhos pelas linhas e o cérebro recusa-se novamente a assimilar o que lá está escrito. De forma despudorada. Relativamente ao caso Bexiga, uma das pedra de toque do celebérrimo Apito Dourado, quase todos saberão, nesta altura, que foi arquivado. E, a páginas tantas, no despacho de arquivamento, aparece isto:

"“… o depoimento auto incriminador da ex-companheira do líder portista, não acompanhado de outras provas que o confirmem, «é de tal maneira frágil que não deve sustentar uma acusação»."

Apeteceu-me gritar. Mas que raio é isto? Estamos num País do Terceiro Mundo? Está tudo louco? Quer dizer, foi baseado unicamente no depoimento da alternadeira que a equipa de Maria José Morgado elaborou a maioria das acusações contra Pinto da Costa. E agora, quando ela própria se proclama mandante da agressão, o seu depoimento é "frágil"...

Falta de vergonha, é o que é! Uma vendetta, ao bom estilo da Camorra, levada a cabo contra PC por uma turba odiosa, escondendo-se nas sombras, procurando dar vazão ao seu fel...

E agora, como ficam estes senhores, autores de uma capa aberrante, não fosse esse o jornaleco onde escreve a Leonor Pinhão...

nota: foto raptada do blog Bicampeões do Mundo.

2 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

É como dizes .

Desgraçado país o nosso dominado por "somalis" !

dragao vila pouca disse...

É meu caro Paulo, este país centralista, perdeu completamente o pudor e a vergonha. Eles já se convenceram que dentro do campo é muito difícil!...Sobre o Dr. Bexiga, é pena que tenha perdoado logo a quem confessou que arranjou alguém para o apagar.Porque será?