22 de setembro de 2007

Coincidências?

Surgiu, semanas atrás, um pretenso estudo que procurava demonstrar que, nas últimas épocas, os adversários do Porto sofriam expulsões no jogo imediatamente anterior. Como é apanágio do jornalismo desportivo deste país, o artigo deixava latente que as mesmas não se deviam a "coincidências", extrapolando os castigos como prova evidente de quem mandava nos bastidores do futebol luso.

Passando por cima das habituais imbecilidades escritas por pretensos escribas encartados, sempre me fez uma profunda confusão o facto de se proclamar, alto e bom som, que são "6 milhões", mas depois, em postos-chave só existem adeptos dos outros. Ou seja, os adeptos do Benfica são todos carteiros, carpinteiros, pedreiros, bancários, empresários, mas nenhum, nem um só, é árbitro, juiz, dirigente do conselho de arbitragem, etc, etc. Nem um para amostra, tadinhos!

É que isto de tentar convencer a malta que são "6 milhões" é um pau de dois bicos. Pela percentagem, 6 em cada 10 são do exe ele bê. Lá está: em 10 árbitros, pela lógica, 6 são dos encarnados. Não é um raciocínio muito rebuscado, sendo perfeitamente elementar.

Em relação ao que me fez estar a escrever, quando devia era estar de papo para o ar, a aproveitar os últimos dias de férias, é a estranheza que me causa o pretenso estudo só ter tido como objecto de análise o FCP. E então, os outros? Ou querem fazer acreditar que só o Porto é que tem situações dessas?

Atentemos apenas e só na época em curso. 4 jornadas decorridas. Apenas 4. Sem fazer um grande esforço de memória, lembro-me de dois casos, que por "coincidência" aconteceram sempre antes de os prejudicados defrontarem o Benfica.

A 15 segundos do final do jogo na Figueira, uma semana antes de irem à Luz, a Naval vê o seu atleta Gilmar ser expulso. A 15 segundos do fim. Rezam as crónicas da imprensa que a mesma foi "forçada", um eufemismo usado para não se dizer que a expulsão do brasileiro foi injusta. Pois. Mais há mais. Na semana passada, no Bonfim, João Pinto, uma das peças mais importantes do plantel arsenalista, viu também um duplo amarelo, que resultou na sua expulsão, em vésperas da recepção ao...Benfica. Lá está. Coincidências.

Agora, pergunto eu novamente. Se isto se passa em apenas 4 jornadas, o que terá acontecido em anos anteriores, quando se disputaram 30 ou mais jogos?

4 comentários:

claudio santos disse...

Até que enfim vejo o assunto falado num blog portista. É que o tal artigo referido fala em cerca de 3* expulsões de adversários do Porto. Mas, e os outros grandes?
Pelo que se vê esta época, com o Benfica a beneficiar de duas em 4 jogos, imagino se estendessem essa análise aos anos anteriores...

jorge almeida disse...

Eh eh eh, são todos trolhas, Paulo, esses 6 milhões, a malta do napron, como lhes chamas:)

paulo grave disse...

Arreia-lhes, k eles merecem! E amanhã é dia de o Liedson ou o Moutinho ficarem de fora do jogo com o Benfica.

Dragaopentacampeao disse...

Na mouche Paulo.

É como dizes, os "6 milhões" é mesmo um pau de dois bicos. Mas os morcões nem se dão conta.
Não admira, D. Afonso Henriques obrigou-os a tirar o turbante das cacholas e a corrente de ar afectou-lhes a mioleira. Nunca conseguíram dizer coisa com coisa.
Enfim, distúrbios...insanáveis.