21 de setembro de 2007

Mangas Arregaçadas...Cortar a Direito!!!

O Liverpool é passado, mas o embate com os reds está longe de ser esquecido e é motivo de muita conversa, ou seja vai dar pano para manga. É certo que fomos quem ainda assim obteve melhor resultado neste inicio da Champions, um empate insípido é certo, onde só os resultados dos nossos rivais nos afagam o desânimo e nos envaidecem o ego....

Mas eu não penso assim, primeiro porque entristece-me que as cores Lusas apesar de tudo percam, depois porque jogamos bem, dominamos a espaços mas a nossa ineficácia, sempre dá à luz, e com isso esta semana avizinha-se ser um deserto de pontos para o Ranking e com tudo o que isso pode significar no futuro (só assim de repente perdemos acessos directos a CL, com as equipas a terem de passar pré-eliminatórias e começar épocas mais cedo, o facto de perdermos equipas na taça uefa nem me preocupa muito porque até pode ser benéfico, hoje qualquer equipa sem dimensão vai a uefa). Mas se o panorama se prevê pouco profícuo neste campo, não é menos verdade que a ilação a tirar da 1ª jornada da Liga milionária para o meu Porto é retumbante em equívocos e preocupações. Mais que escalpelizado o desafio da pretérita 3ª feira é preciso atalhar caminho e pensar na Mata Real.

O terreno por si só é sinónimo de lembranças pouco animadoras, sendo um dos que mais dissabores nos trás a memória (desde derrotas no limiar das partidas ao adiar da festa do Bi, etc…). Não pretendo crivar Jesualdo com mais criticas, ou perseguições, pois treinador que é treinador não pode gerar unanimidade ou ser consensual, muito menos no FCP. Isso não o iliba de culpas, longe disso, é preciso cortar a direito no marasmo que vai invadindo os azuis e brancos. Vejamos a equipa que jogou contra os comandados de Benitez, em relação à do ano passado, só não contou com Pepe e Andersson, ora eu não estou certo que com Pepe não sofressemos o golo, mas não se encerram em mim dúvidas que com o nº10 haveria diferença, os “britânicos” foram uma equipa que fechou bem nas alas amputando toda a dinâmica ofensiva que o Dragão apresenta de momento (só mesmo nas alas há desequilíbrios e velocidade), obrigando os Portistas afunilar e caminhar pelos trilhos de um meio campo onde Lucho está longe de fazer uma boa ligação defesa/ataque.

1 - Questiono se o Jurema estivesse no plantel não teria lugar????
2 - Mais, todos falam que Scolari não mexe nas vacas sagradas da selecção das Quinas, então para quando a saída de Quaresma do onze, sobretudo quando todo o seu futebol se mostra inconsequente?!?!?!?
3 - Porque raio se acredita na magia do Harry Potter e se desvaloriza a variável criativa de L.Lima, como uma qualquer solução de diversas fórmulas resolventes para um jogo??!?!?
4 - Porque diabo se até Mariano se confessa desiludido com a forma que apresenta de momento (diz que é capaz de dar mais), se insiste em que seja opção??!??!

Mister, vamos arregaçar as mangas e trabalhar de encontro a termos um Porto à Porto, pensar que o futebolzinho para consumo interno chega para a alta roda europeia é uma utopia. Quem embarca nestas similaridades é José Mota, acha que porque consegue ombrear com os grandes a nível interno, se acha capaz de bater o Az Alkmar (eu até quero que ganhem) …ora nem de propósito estes confrontos intervalam-se no tempo desta semana, pelo que será boa ideia apreciar as valias dos Castores da Capital do Móvel, fazer os trabalhos de casa e atentar também no rival dos mesmo (apenas pela mentalidade ofensiva de seu treinador…à Holandesa).

Já aqui escrevi que de tácticas e técnicas, não pretendo dar lições ao Prof, mas sobre mentalidade ganhadora não me cansarei de escrever, porque mais que esquemas e disposição/posicionamento de jogadores no rectângulo de jogo é esta que nos faz estar mais próximo do objectivo GANHAR, domingo não deverá ser diferente. Quando falo em mentalidade, não falo só de manter o hábito ganhar, refiro-me a imagem que se faz passar para dentro do grupo, do terreno de jogo, durante os 90 minutos, não chega dizer na conferência de imprensa que antecede os desafios que se tem equipa para ganhar a qualquer onze do Mundo, se depois na hora da verdade nem sequer se tem coragem de o tentar. Domingo é tempo de mostrar que o tempo das vitórias morais e do futebol espectáculo sem balizas, não dá pontos, e na Mata Real é de mais 3 que falamos com vista ao Tri, para tal e como indicio do sinal de mudança eu lanço um onze capaz de os arrancar:


A mensagem de certo passaria num ápice aqueles que não se encontram escalonados, a mudança nem sempre implica progressos visíveis nos factores integrados do jogo, mas que ela mexe com quem a sofre, isso não tenho dúvidas, e no Porto há gente a precisar de ver o espírito de conquista ser agitado.

4 comentários:

Nelson Gonçalves disse...

Vai ser um jog tremendamente dificil, mas podemos e devemos jogar com o desgaste do adversário, pouco habituado à Europa e com menos 2 dias de descanso. Temos é k entrar a mandar, empurrando-os para trás, mas sinceramente não acredito nessa constituição. Bruno, demasiado ofensiva para Jesualdo. O k se passa com Bosingwa, para não entrar nas tuas contas? Esta lesionado?

carlos soares disse...

Bruno, gostei da tua análise, como sempre, mas tb acho que Jesualdo manterá a aposta na equipa que tem jogado. Lisandro deve continuar na frente, em detrimento de Farias, e os extremos serão Quaresma e Tarik, caso este apresente forma física que lhe permita jogar. Mas concordo que Quaresma tem que mostrar mais do que aquilo que tem feito, ou pelo menos ser mais solidário no jogo de equipa.
Se Tarik sair, aí sim, Lisandro ocupará a sua posição e Farías entrará de início, se bem que isso não me reconforte, pois ainda não lhe vi absolutamente nada. A esperança é que Adriano já se encontra apto, se bem que sem ritmo competitivo.

Abraço,

tbz disse...

Agora deram todos para embirrar com o Quaresma. Não percebo essa antipatia generalizada. Estão à espera de golos de trivelas todos os jogos?
Continua, mesmo apesar das críticas, a ser o mais perigoso dos portistas e aquele que faz mais assistências para golos. Intocável, para mim!

Paulo Pereira disse...

Bolas, tu continuas sem fazer prisioneiros:)
Por partes, já sabemos k temos k levar com o Jesualdo, por isso pouco mais haverá a fazer. Contudo, apesar do sabor a frustração no jogo com o Liverpool, racionalmente tenho k admitir k, se nós nos sentimos assim, o k dirão os adeptos deles? Um jogo indigno de uma equipa k gasta milhões, mais parecendo uma kk equipa lusa k se desloca ao Dragão e estaciona o autocarro em frente à baliza. Não axo k o Porto tenha um futebol apenas para uso interno, mas é verdade k os medos k tolhem Jesualdo, às vezes, nos provocam amargos de boca...
Qt a Quaresma, parece-me k exigimos demais dele. É certo k continua egoísta, exagera nos lances individuais, mas continua participativo nos lances de maior perigo. Não concordo nem com os assobios ao ciganito nem com as críticas k pululam aí pela blogosfera.
A equipa k escalonaste não passará disso mesmo: um exercício k Jesualdo nunca porá em prática. Não é da estirpe dele ser ofensivo, e Leandro Lima terá vida difícil. Parece k os tecnicamente evoluidos, no Porto, apanham sempre com treinadores pouco compreensivos (vide a relação Adriaanse/Anderson).
Nessa tua equipa vai entrar J.Paulo, em detrimento do Stepanov, o Bosingwa no lugar dele, R.Meireles em vez do puto brasuca, Lisandro no lugar de Tarik e Farias à frente. É esse o meu prognóstico. E sinceramente, espero k tenha chegado a hora do Ernesto. Será assim tão difici contratar um avançado k marque golos?