4 de setembro de 2007

3X3…Pouco Futebol Total!!!


Foi um regresso feliz (mais por culpa do resultado que pela exibição) a um palco que vinha sendo tradicionalmente aziago às cores azuis e brancas. Também as bancadas pareciam adivinhar a fraca qualidade do jogo, (4500 espectadores na sua maioria adeptos e simpatizantes dos Dragões). O ambiente em torno do jogo partia envolto em alguma polémica pelas declarações do técnico leiriense e pela troca de palavras entre as 2 partes embora sempre dentro do politicamente correcto aqui ali apimentado com polémica.

As equipas apareceram no relvado com baixas de parte a parte (sobretudo ao nível defensivo), a semana de trabalho tinha trazido dores de cabeça ao prof. e este para além das ausências forçadas de P.Emanuel (cap.) e de Helton, deu-se ainda ao luxo de preterir H.Postiga da lista de convocados (que confiança pode ter de futuro este jogador…???). Sem fugir ao esquema tradicional e usando dos princípios instalados o que se viu nos 1ºs minutos foi um Porto molengão onde que quem parecia ter jogado a meio da semana éramos nós, sem forçar a nota, sem forçar o tom a partida foi-se arrastando, sem grandes rasgos com o Dragões apesar de seguros e parecerem ter as operações controladas iam permitindo aos Leirienses alguns momentos de assomo de perigo com Nuno a chegar para as encomendas (poucas diga-se em abono da verdade…), era o futebol que tínhamos e que de desgarrado tinha muito, não ligamos mais que 3/4 passes seguidos, ressentindo-se desta forma as tão propaladas transições rápidas para o ataque, pouca intensidade de jogo, nenhum rasgo de génio capaz de empolgar a equipa para outras cavalgadas, estávamos nisto, uma partida entretida onde não nos púnhamos a cobro de num repente (tal como no ano passado sofrermos um golo…), até que num momento de inspiração fortuito, Tarik, após centro largo da esquerda de Quaresma, preteriu uma finalização de cabeça e parou no peito rematando de seguida cruzado para o fundo das redes de Fernando, era o GOLO… (Jesualdo por esta altura já tinha gente em aquecimento talvez pensando no 2º tempo), o relógio marcava 7 min para o intervalo.


Era fraco o pecúlio angariado pelos dragões, mas era mais que aquilo que tínhamos feito por merecer, excepção feita ao lance mal invalidado logo aos 3 min a Bosingwa por pretenso fora de jogo. Não se ressentia o Leiria do esforço despendido dando boa réplica ao futebol apresentado pelos Portistas. Raul Meireles era o único que destoava da toada imposta sempre em alta rotação, era o único que jogava sem bola e procurava movimentos de ruptura, o jogo era muito forçado e alicerçado no futebol cerebral de Lucho, Lisandro corria quilómetros acorrendo as solicitações sobretudo nas diagonais que lhe são características. Os jogadores recolhiam aos balneários e apesar de jogadores em aquecimento não se vislumbrariam mudanças no início do 2º Tempo, o mister mantinha-se fiel (também a substituir alguém teria de ser quase meia equipa), tínhamos demonstrado pouco empenho, maioritariamente atacávamos pela esquerda do nosso ataque mas sem grandes consequências, Quaresma uma vez mais pouco feliz na cidade do Liz procurava apesar de tudo um momento mágico. Jogava-se à pouco minutos o reatamento quando noutro momento de inspiração B.Alves (provava que já não há centrais toscos) e fazia de Harry Potter descobrindo um malabarismo novo (de tanto de ver Quaresma aprende-se e entranha-se), arranja espaço na área livra-se da marcação centrando para entrada fulgurante de cabeça de Lisandro (fulminou Fernando, atónito e perplexo, pelo não assinalar de bola fora), 2-0, (erro do liner do ataque azul e branco pois a bola estava claramente fora… uma mão lava a outra).


O jogo acabava aqui, deste lance em diante o Leiria, que fora capaz de obstar as investidas dos comandados de Jesualdo, não mais beliscou a hegemonia dos dragões. O Porto tinha agora todo o espaço do mundo, durante mais 20 minutos capitalizou o esgotamento físico e anímico da equipa de P.Duarte, chegaríamos ao 3 golo por intermédio de J.Paulo em mais um golpe de cabeça, este ao de leve, (mais um lance de bola parada).


Poderíamos ter aumentado o score, mas o jogo pouco mais traria que o correr do marfim, ambas as equipas desejavam o final do jogo, uns com o dever cumprido outros de forma a poder evitar um desígnio mais traumatizante, por esta altura assistia-se a um futebol mais escorreito por parte dos pupilos do prof, agora com Lucho a chegar-se mais a frente a ocupar espaços mais no interior e costas do meio campo do Leiria, com L.Lima que entrara para o lugar de P.Assunção a tentar criar desequilíbrios com alguns passes a rasgar e Bosingwa agora mais afoito a infernizar no flanco direito, tudo o mais era por vezes displicência e muita bola no pé inconsequente, haveria ainda tempo para a estreia de Edgar que pouco acrescentaria a dinâmica ofensiva. Em suma um excesso absurdo do resultado final mas que no fim poderia ter sido ate mais expressivo, não fomos francamente perigosos nem a 1ª parte foi de grande intensidade, dir-se-á que o que custou foi o 1º golo e que ao 2º a derrocada do Castelo foi de vez, um jogo que se previra de dificuldade acabava sem grandes sobressaltos, este Leiria nem com os ciclistas do Habitue foi causador de grandes embaraços só N’Gal foi fazendo pela vida, o prof estreou mais 3 jogadores e ganhou na sua guerra pessoal de jogar sem avançado. Os Dragões saciam a sua sede de desforra, fazem o pleno de vitórias no arranque da Bwin e mantêm os rivais a distancia segura. Terceira vitória, mais três pontos num agradável somatório total de nove que só não nos dá a liderança do campeonato por culta de um Lazaroni intrépido e metido a sensação de inicio de liga.

Momento do Jogo

Nem podia deixar de ser o golo de Lisandro, por tudo o que esta inerente ao lance e a génese do mesmo. Bem B.Alves, mal o árbitro assistente e tudo mais foi o desfraldar da bandeira branca de rendição dos leirienses. Por linhas travessas escrevia o Porto um ponto final na partida ainda que estes nunca se tivessem sentido verdadeiramente a coçados no seu domínio.

(+) Positivo

(+) R.Meireles e J.Paulo, o 1º por ter sido um verdadeiro poço de energia e dinâmica no centro do terreno, ainda com tempo para um disparo que quase dava em golo (com a colaboração do guardião leiriense). O 2º porque foi exemplo de abnegação extrema, foi de uma simplicidade de processos defensivos como se quer na posição que ocupa, teve ainda tempo de fazer o gosto ao pé (cabeça está visto) estando ainda perto de um segundo tento, porque soube trabalhar para merecer a confiança do técnico azul e branco, aproveitando bem a ausência do Capitão.

(-) Negativo

(-) Dinâmica do 1º Tempo portista e Jesualdo, uma equipa que quer ganhar não pode jogar tão pouco, na expectativa de que a partida se resolva num qualquer momento. Às vezes as coisas correm mal mas não fazer por elas terem outro rumo parece-me irritante. Jesualdo, porque as substituições parecem mecânicas e completamente previsíveis, tirou Tarik quando Quaresma usava e abusava da posse de bola, atirou Mariano para o jogo e este voltou a não justificar. Por último, apesar de ganhador, não se entende porque razão voltou a sua relação amor/ódio com Postiga. Desta feita deu-se bem, mas Edgar não provou ser alternativa credível.

(-) Quaresma, há muito que ando tentado escrever sobre a sua intermitência no jogo, em Braga muitas vezes ausente resolveu a contenda, no Dragão ainda atirou ao poste, mas ontem foi por demais evidente que estava em noite não, falta de inspiração, individualista o suficiente para achar que deveria ter sido substituído após o 3-0, até para ver a equipa jogar sem ele. Voltou a roçar o vermelho mas leva 2 amarelos em outros tantos jogos e isso vai pesar mais lá para a frente.

(-) Árbitros assistentes, pelos 2 erros crassos na apreciação a lei de fora de jogo, no ter e no haver prejuízo igual ao lucro, mas com influência no desenrolar do jogo.

ps: O agradecimento da praxe ao Bibó Porto, pelo logo da partida.

10 comentários:

soren disse...

Uma primeira parte muito pobre, mais uma vez profundidade ofensiva: zero.

Jogamos com tres médios defensivos e sem ponta de lança de raiz contra uma equipa como o Leiria. Coisas à Jesualdo.

Na segunda parte beneficiamos do desgaste claro do Leiria e da lesao do seu melhor jogador.

De qualquer maneira, o Porto trocou bem a bola a espaços e aproveitou bem o desgaste dos homens das operaçoes especiais em Israel.
Também gostei da forma como mais uma vez os jogadores foram solidarios a provar que ha espirito de equipa e o trabalho nas bolas paradas vai-se notando.

O Leandro Lima e o Edgar entraram ja com a equipa em descompressao e por isso mesmo nao se viram muito se bem que o Leandro Lima fez mexer o jogo e fez boas aberturas. O Edgar nao teve hipotese de fazer mais, dada a inoperancia do Mariano e as 10 fintas por jogada que o Quaresma teve que fazer toda a segunda parte antes de cruzar qualquer bola para a area.

Mau jogo do Fucile em termos defensivos, Lucho muito abaixo do pode fazer e grande jogo do Meireles e do Joao Paulo.

Precisamos desesperadamente de um ponta de lança de qualidade. Senao vamos andar a desgastar o unico avançado de nivel mundial que temos, o Lisandro. Ou o Farias é mesmo bom ou entäo vamos ter muitos amargos de boca esta época.

Mais um amarelo inventado desta vez ao Quaresma.

9 pontos em 3 jogos, espero que este espirito de trabalho se mantenha.

As galinhas por sua vez, provam agora, que até podem agredir arbitros sem serem expulsos. Kacetouranis, pois quem haveria de ser, depois de partir pernas em entradas assassinas que nao dao sequer lugar a falta (coisas à Imbecilio Baptista), da-se ao luxo de empurrar o arbitro e so levar amarelo. Gostaria de ver o que se passaria se fosse um jogador do Porto. Enfim, coisas à Bruno Ladrao Paixao...é o futebol que temos.

a tasca do teixeira disse...

Mais um jogo idêntico aos anteriores. Muita segurança e objectivos perfeitamente controlados.

O Professor Jesualdo está definitivamente a construir um grupo muito forte. Iludiu-me com a entrada de João Paulo ao invés do Stepanov, mas na verdade optou pela solução mais justa.

O Mariano Gonzalez tarda para merecer ser opção mas ainda tem margem de manobra. Leandro Lima a espaços também fez aquilo que mais me encanta nele - as suas aberturas. O miúdo tem um talento natural para fazer respirar o jogo. Mas entende-se a opção de Jesualdo porque na verdade não se pode pensar de ânimo leve retirar Meireles ou Lucho do 11.

Lisandro. Este se quiser faz carreira no Porto. É aquele jogador que qualquer treinador gosta de ter à disposição. Temos ali "Capitão".

Destaco o Nuno, Meireles, Quaresma (finta finta mas já lá estão mais duas assistências).

Que acharam do campeonato de velocidade que o Bosingwa e o Sougou proporcionaram?

"Ah ganda Zé!" - temos o lateral mais rápido da Europa!


O Leiria está cansado?


Também eu!

louro disse...

Exibição menos conseguida na 1ª parte, mas segura na recta final.
Muito bem ao nivel das transições e posse de bola, faltou no ultimo terço do campo, um maior aproveitamento do volume de jogo criado,isto porque o Quaresma resolvia recriar-se com a bola e com o jogo resolvido, não lhe apeteceu jogar para a equipa.
No entanto temos de realçar que fez 2 assistencias para 2 golos,mas a exibição foi entre o bom e o sofrivel.

O fiscal de linha errou uma vez a nosso favor(2º golo irregular),mas no computo geral em caso de duvida,o arbitro apitou sempre contra.
O outro fiscal de linha anulou um golo limpo e interpretou a lei da maneira que já habituou os nossos jogadores(em caso de duvida, apitam sempre contra)
Não gostei nada da exibição no Mariano(nariz no chão,faz-me lembrar o Folha)e acho que o Leandro Lima é de facto um bom trunfo.
Em relação á jornada de destacar o destaque dado á vitoria dos vermelhos pela sport TV e TVI..como sempre.
Expulsão perdoada ao Maxi que nem amarelo valeu e que nem foi alvo de comentario pelos destacados orgãos comunicação social.
Lembram-se da expulsão do Zezinho no Canadá que tirou o cartão ao arbitro e foi expulso?...pois o Katsouranis fez pior!(empurrou o arbitro e levou amarelo! com o resultado em 0-1 !!!Comentarios...ZERO
Destaque para o Diego Benaglio que Ofereceu dois golos aos vermelhos- devia receber um premio!

O sr. Jorge Coroado não suporta o Porto,isso já todos sabemos,mas daí a ver vermelhos para o Quaresma em todas as jornadas é demais! Raios f.. o pastel de belem!
Cumprimentos.

portista_convicto disse...

O Porto não jogou bem, é certo, mas o suficiente para ganhar com calma e tranquilidade. E tudo poderia ser muito mais fácil se o golo aos 3' tivesse sido validado. Mas lá está, não foi. Nada de muito mau veio ao mundo por causa disso, pk o Porto tb beneficiou de um erro. Crasso, é certo, mas apenas um erro. Tenho apenas uma mágoa, k já não é de agora, mas k constato cada vez com maior apreensão: o despudor da imprensa não tem limites! Os erros k nos beneficiam têm chamadas para títulos, capas e demais propaganda. Os erros contra, ou a favor dos nossos adversários, têm um tratamento completamente oposto. Chiça, k já farta tanta parcialidade!

Gostei do Raul Meireles, já num apreciável momento de forma, do Lucho e da defesa, sempre consistente. Continuo a achar k exigimos demais do Quaresma. Ele exagera, é certo, nas fintas, mas continua a ser decisivo. Duas assistências em 3 golos não serão suficiente para ser considerado como positivo, Bruno?

Abraço de Dragão,

portista_convicto disse...

Esqueci-me de destacar o Lisandro, mas isso já é normal. Ele joga sempre na mesma rotação: elevada!

Faz-me lembrar o Derlei de Mourinho. Não desiste de nenhum lance, luta bravamente, sendo um jogador tecnicamente evoluído. A ele, o meu tributo, por tantas vezes o ter esquecido.

Paulo Pereira disse...

Partilho da opinião generalizada: o jogo do Porto, em português vernacular, foi uma m*rd*!
Como kk comum adepto, sigo nestes casos a velha máxima de que o k interessa são os 3 pontos. São, e ponto final. Mas, quiçá movido por um sentimento de vendetta contra as declarações infelizes (ía para dizer imbecis, mas o treinador do Leiria ainda não tem estatuto para isso) de Paulo Duarte. Queria uma goleada mas também a humilhação pura e dura do adversário, brindado por olés das bancadas. Infelizmente isso não aconteceu. Culpas repartidas, neste caso. Desde cedo, o Leiria demonstrou ao k ía. Defender. Defender. Defender. Depois, logo se via. Talvez desse, como no ano passado. Um golo fortuito e a fortuna amealhada. Desta feita, a justiça não o permitiu. A divina, pk a outra, a dos homens, falha como o caraças. Aquela bola aos 3 minutos é de colocar a Madre Teresa - k descanse em paz - a barafustar com palavrões de taberna. Mas pronto, desde a pré-temporada k o Porto se vem preparando para isto. Erros de arbitragem, tratados com a ligeireza habitual pelos jornais desportivos.

Na apreciação dos jogadores, nada de novo. Bosingwa a concorrer com o Obikwelo, mas sem falsas partidas (ah grade Zé), com aquela velocidade supersónica k, no final de temporada, valerá entre os 15/20 milhões. Raul Meireles k, pese o exagero nas tatuagens, continua de uma sobriedade enorme dentro do campo, a defesa imperial, k até permite k B.Alves vá lá à frent, ao bom estilo de um extremo, centrar bolas e...Lisandro.

Bela comparação essa do portista_convicto. É o Derlei, renascido das cinzas, mas com melhor aspecto do k o original:) Luta, joga e corre por 3. Sendo assim, tá td dito. Voltei a gostar de Tarik e a suspirar por Vieirinha. Não consigo entender esta antipatia de Jesualdo pelo extremo. Tinha td para vingar de dragão ao peito. Fica para outra oportunidade (coragem, míudo).

Lá na frente, sem Adriano e Farías, caçamos com gato. Tá feita a estratégia para o Liverpool, em k vamos necessitar de muito mais do k boa vontade.

ps: Ah, e não se esqueça de começar com poupanças contra o Marítimo para o jogo de Liverpool. É bom k se lembre, mr.Jesualdo, do descalabro em Janeiro do ano passado. Os madeirenses são para ser encarados com profissionalismo e, de preferencia, com a melhor equipa em campo.

Abraço,

Anónimo disse...

E os reforços, jogam quando? Que raio, gastam-se milhares em atletas que depois não são utilizados? Devem estar a brincar com isto.

Paulo Pereira disse...

Caro anónimo, deixe-me adivinhar: andou a ler o MST hoje, na Bola?
Quase que aposto...

Os reforços são para entrar...qd Jesualdo quiser. Convêm não se esquecer que o Porto é...bicampeão nacional. Isso faz toda a diferença. Significa k aqueles homens são vencedores, daí ser mais complicado resgatar-lhes a titularidade. Nos outros, aqueles que correm atrás de nós, os reforços chegam e jogam. Pudera. Pela lógica, se perderam foi pk os seus atletas não são muito bons, logo existirá mais possibilidade de kk reforço (sim, mesmo o o Adu) conseguirem jogar com regularidade.

Ah, e ao que parece, isso dos reforços é uma falsa questão. Afinal, estamos invictos e 100% vitoriosos, não é?

Abraço,

João Filipe Rocha disse...

Já dizia o Mourinho, um treinador tem que ter coragem, e nisso o Jesualdo peca. É inadmissivel continuar a ver um jogador em campo, quando já anda lá por evr os outros e quando já nao tem soluçoes (fintas) para chegar as bolas aos seus colegas. Falta-lhe coragem sr. professor para em certos jogos tirar , é certo, a melhor arma da companhia. So se dá aso a que uns e outros digam que FCP é quaresma e mais 10. Desde que nasci sempre me aprendi que FCP é grupo é colectivo. Tarik nao merecia sair, é assim que se perdem jogadores..em relaçao a Postiga nao se percebe a guerra, mais uma vez digo, é assim que se perdem jogadores e a sua confiança..Quanto ao jogo, merecemos mais, muito mais, aliás, estamos habituados a mais, muito mais.
Jesualdo vence, mas continua a nao convencer, nao tem categoria para esta instituiçao e clube.

hasta

Bruno Pinto disse...

O jogo não foi famoso, mas a verdade é que ganhámos 3 - 0 num terreno muito difícil, onde perdemos na época passada. Mesmo vencendo de forma inequívoca continuam muitas críticas a Jesualdo, com as quais concordo nalgumas questões, noutras nem tanto. Por aqui também se vê o grau de exigência de um clube como o FC Porto e a sua grandeza intrinsecamente ligada às vitórias magníficas e sucessivas que temos somado nas últimas décadas.

Abraço.