21 de março de 2009

A Taça que eles queriam...

O País teve a Taça que queria. Uma final entre a irmanada dupla de contendores lisboeta, para gáudio da turba. JM Delgado, sorriso afivelado no rosto, passou o tempo todo, desde o conhecimento dos intervenientes na final, a tecer loas à Taça da Liga, elogiando amiúde o seu mentor, o anafado Loureiro. Compreende-se. A pouca importância devotada pelo Porto relativa à novel competição incomodou alguns espíritos mesquinhos.

E, volto a repetir, o País teve o que queria. O espectáculo obsceno, dado pela TV, perdurará durante muito tempo. Agressões, em 90 minutos de verdadeira batalha campal, onde o futebol foi o primeiro dano colateral. Para não variar, tendo como juiz Lucílio Baptista, os erros arbitrais seriam mais que muitos.

O penalty, acrescido da expulsão de Pedro Silva, permitindo o empate à "locomotiva de transparência do futebol português", foi catalogado na década de oitenta por Pedroto. Colocando o nome aos bois. Roubo de Igreja. Continua tudo imutável no futebol luso.

Finda a partida, resta apenas dizer que esta é mesmo a final que o tristonho cantinho à beira-mar plantado merece. O desporto-rei, esse, pede desculpas aos seus adeptos. O futebol a sério volta dentro de momentos...

2 comentários:

MARIO DUARTE disse...

O SCP devia era ter saido de campo...iria ter as penalizações daí resultantes mas ao menos esta pouca vergonha era falada durante 10 anos,assim para semana e com a ajuda da comunicação social já ninguém se lembra deste ROUBO á mão armada.

leon disse...

Isto é NOJENTO! O Pais a ver como esta equipa patética e ridicula que só marca golos de empurrão! Este SLB sem os arbitros era ZERO!