15 de setembro de 2008

O futebol do Velho Continente - 2

E pronto. Decididamente, a Superliga tuga ganhou o prémio da mais surrealista competição a disputar na Europa. Ao fim da 2ª jornada disputada, uma paragem prolongada, tão do agrado dos dirigentes deste cantinho à beira mar plantado. 15 dias sem futebol competitivo, aproveitando a pausa provocada pelos jogos das Selecções. Lá por fora, o que se vê faz corar de vergonha o decisor de tão controversa pausa. 3 dias após os jogos das equipas nacionais, os campeonatos voltaram, em força, com estádios cheios, golos em catadupa, lances polémicos e embates fantásticos. A nós resta aguardar pela próxima semana...

Itália - José Mourinho conquistou a primeira vitória no Calcio. Mas, como se esta servisse de barómetro para o que o espera ao longo da época, foi uma conquista suada, difícil e repleta de intensidade. Jogando em casa, perante o Catania treinado por uma lenda viva do Inter, o guarda-redes Walter Zenga, os comandados de José Mourinho, com Quaresma a titular, viram-se em inferioridade numérica, com a expulsão de Muntari, um dos reforços da temporada. Como se não bastasse esse golpe do Destino, o Catania adiantou-se à beira do intervalo, colocando os adeptos do Inter de mãos na cabeça. Valeu Quaresma e...uma dose enorme de sorte. Em resposta ao golo adversário, o ex-portista tentou uma trivela, vendo o remate embater num adversário e trair o guarda-redes do Catania. Se a 1ª parte terminou de forma graciosa para o Inter, a 2ª iniciou-se de forma similar. Auto-golo do Catania, com as imagens a não permitirem a aferição sobre se a bola transpôs na totalidade a linha de baliza. A reviravolta, sustida com classe até final, permitiu já o avanço pontual sobre o rival citadino, o Milão. Verdadeiro case study a permanência de Ancelotti à frente da equipa de Berlusconi, fiasco após fiasco. 2 jogos, duas derrotas, é o saldo actual do Milão de Ronaldinho, Shevchenko, Flamini, Kaka, Alexandre Pato. Bastante mal vai também a Roma, que ainda não venceu. Apontada no início de época como candidata ao scudetto, conta apenas com um mísero ponto no bornal. A Juventus venceu, igualando o Inter em pontos, mercê do golo do novo reforço brasileiro, Amauri. E, quando se tem avançados da igualha de Trezeguet, Iaquinta, Del Piero, Amauri, qualquer treinador dorme o sono dos justos.

Espanha - Laporta e Guardiola correm sérios riscos de se transformarem rapidamente em personas non gratas na Catalunha. O presidente dos catalães vive um período de enorme desgaste psicológico, com moções de censura ao seu reinado e com a míngua de resultados a não ajudar. Guardiola, nado e criado na Catalunha, tenta desesperadamente colocar um cunho próprio no Barcelona, numa limpeza de balneário que afastou Ronaldinho, Deco e alguns outros. Apostando na prata da casa, com a promoção de Sergio Busquets e Victor Mata, não tem sido bafejado pela sorte. Duas jornadas e um mísero ponto na classificação, cedendo inesperado empate em Nou Camp com o Santander, onde se estreou Jorge Gonçalves, ex-Leixões.
O Atlético, vivendo em estado de graça, perdeu na deslocação a Valladolid. Afectado pelo "Vírus FIFA", expressão que graceja com as deslocações intercontinentais dos atletas sul-americanos que representaram os seus Países a meio da semana, os colchoneros não contaram com Forlan e apenas com Aguero na 2ª metade.
Foi uma jornada de jogos loucos. O Sevilha-Gijon foi um deles. De 0-2 para 3-2, culminando num 3-3 ao intervalo, com os sevilhanos [bela equipa] a marcarem o 4º na 2ª metade, prometendo uma época de alto nível. Com Fabiano e Kanouté lá na frente e a next big thing espanhola a criar golos [Diego Capel, franzino, num estilo semelhante ao de Futre, tem feito misérias nos flancos] o Sevilha dá espectáculo. O Real Madrid-Numancia copiou o resultado de Sevilha. 7 golos, numa réplica excelente do Numancia, que tinha vencido o Barcelona na 1ª jornada.

Inglaterra - Continua a saga do Liverpool. Joga mal, mas vence. Benitez agradece. Pela 1ª vez, derrotou Alex Ferguson, batendo o Manchester United por 2-1. O golo madrugador de Tevez foi insuficiente para os red devils [com Anderson a titular] levarem os 3 pontos do mítico estádio do Liverpool. Nem Berbatov, a nova coqueluche de Manchester, foi capaz de evitar a reviravolta, com auto-golo de Wes Brown e Ryan Babel.
Em Manchester, jogo grande, no Estádo do City, agora com novo e abastado dono. Numa equipa com Elano, Jo e agora Robinho, 3 internacionais brasileiros, com uma das grandes promessas do futebol inglês, Micah Richards, um defesa central belga de enorme classe, Kompany, o tempo parece ser de sonhos. E a estréia de Robinho não podia ter começado melhor. Grande golo de livre, dificultando a tarefa aos comandados de Scolari. Mas os blues de Londres são hoje uma máquina trituradora, com um joker adquirido no Verão a preço de saldo. Deco, magistral, encanta a cada jornada, tendo sido eleito o jogador do mês pela exigente Liga Inglesa. Ricardo Carvalho empatou, realizando uma exibição sem mácula, perfeita a nível defensivo, Lampard regressou ao protagonismo, num excelente remate e Anelka sentenciou, de forma letal. Pela negativa, a expulsão de John Terry, que não jogará no Domingo contra o United. O Arsenal, com Adebayor a marcar o primeiro hat-trick do campeonato, venceu, não perdendo de vista o duo da frente, Liverpool e Chelsea.
Para já, as primeiras ilações dão conta das enormes dificuldades do campeão em título, o Manchester, já com duas derrotas e um empate em 4 jogos. A falta que faz Cristiano Ronaldo...

Nota: Ricardo Costa, ex-portista, continua a dar seguimento ao bom início de época. Novo golo, o 2º, na Bundesliga, mantendo a invencibilidade do Wolfburgo, a equipa alemã que mais gastou no defeso.

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

Muito boa análise.Ficamos a saber tudo!
Eu depois pago-te um copo.Ah, ah, ah.
Achei piada aos comentários ao golo do Quaresma. Houve um que disse:- Quaresma marcou um golo e que golo!-
O presidente do Catánia é que não gostou nada das declarações do Mourinho e disse: Mourinho é daqueles que se deviam tratar à bastonada nos dentes -.Lá vai o Zé ter de ter segurança quando for à Sicilia.
Um abraço

José Campos disse...

Blog da nossa Nação Azul e Branca. Com toda a informação desportiva do nosso FCP. Visitem e adicionem.
Abraço

A Nação Azul e Branca

http://anacaoazulebranca.blogspot.com

AZUL DRAGÃO disse...

O CHELSEA está a jogar muito bem,
e DECO continua em grande !

Vi o jogo e gostei.



Abraço

Dragaoatento disse...

Análise interessante!Gostei.

FC Porto x Fenerbahçe

Atenção a Guiza (o goleador). Muito cuidado com este...!
A referência incontornável do ataque é o espanhol e campeão da Europa Guiza, Pichichi da última liga espanhola contratado ao Maiorca por 27 milhões de euros. Guiza é "um finalizador nato, muito forte e que pode fazer a diferença". Alex tb se destaca na equipa : "É um apoio muito importante e, num dia inspirado, muito difícil de segurar." Atrás, para alimentar esta dupla, surge Kazim-Kazim. "O jogo passa muito por ele, e é fundamental saber marcá-lo bem, porque é uma peça importante a alimentar os avançados", recordou, destacando ainda Senturk.
Guiza apontou 27 golos na liga espanhola, na época passada, e mais dois no Euro'2008. Aragonés sabe melhor do que ninguém como tirar partido do avançado...
Guiza, ganha nas desmarcações rápidas, usando a velocidade. Joga muito em linha com o último homem da defesa, no limite do fora-de-jogo, e, quando é lançado em profundidade, apanha os adversários desprevenidos". "Ainda que seja um jogador de área, não fica parado à espera. Trabalha muito, pressiona, vai à linha e abre espaços para a entrada dos companheiros".
"Marcou 27 golos no campeonato espanhol e nenhum de livre ou penálti". "No Getafe, onde jogou antes, também marcava muitos".

Abraço