6 de junho de 2008

Férias


Finalmente. O dia chegou. Umas merecidas e retemperadoras férias à minha espera. Pelo menos, tão retemperadoras quanto o permitidas pelos dois rebentos que me acompanharão, com as suas tropelias próprias da idade. Mas o que importa mesmo é fugir. Da rotina. Dos rostos do quotidiano. Uma praia. Uma nesga de sol. Uma cadeira com vista para o pôr-do-sol. Um livro como companhia, pela noite fora. Um bálsamo, que permitirá recuperar forças...

Daqui a 10 dias estarei por cá. Na luta, novamente. Pela defesa intransigente do bom nome do Porto. Sempre. Contra a escumalha que está identificada. Fiquem bem!

13 comentários:

BRUNO ROCHA disse...

Aproveita bem....eu tb etou de feiras ao blog..mas so pork comesta merda toda nem me apetece dizer o k ker k seja...puta k os pariu

Anónimo disse...

Boas férias é o desejo deste novo sócio do FCPORTO.
Amorim

Bruno Pinto disse...

Boas férias, Paulo... :-)

Dragaoatento disse...

Olá Paulo!
Sendo assim desejo-te as melhores férias do mundo na companhia dos teus entes queridos.

PS - O mafioso do orelhas e os alienados às suas ordens,têm-se encarniçado a tentar descredibilizar os feitos(vitórias desportivas)obtidos pelo FC Porto dentro das quatro linhas.Até já dão como provados processos que ainda estão a decorrer!!!
Tenho esperança porém que em Portugal os cidadãos responsáveis e honestos(CJ da FPF)não se deixem embalar pela lenga lenga deshonesta do digno sucessor do Vale e Azevedo.

Dragaopentacampeao disse...

Que sejam retemperadoras essas férias para quando voltares poderes retomar a luta contra os infiéis.

Um abraço

dragao vila pouca disse...

Boas férias, com um feeling sobre o tempo, calculado ao milímetro.
Um abraço

verdadeiro disse...

Boas férias e viva portugal!

Anónimo disse...

Olá Caro Amigo. em primeiro lugar umas boas e merecidas Férias. Gostaria de contactar contigo mas não encontro o teu email no blog. Espero que me contactes para moderador@fcporto.planetaportugal.com
Um abraço e obrigado pela atenção dispensada.

Anónimo disse...

Nuno; Zebo; Pepe;R.Carvalho; Bruno Alves; P.Ferreira; RaulMeireles,Deco,Quaresma,Postiga e H.Almeida.

11 jogadores da selecção ACTUAL(!!!!) que fizeram parte do FCP/campeão europeu ou do FCP/TriCampeão.

Então como é que o FCP,precisava, de comprar um arbitro por 5OOC (eles ganham bem mais por mês a arbitrar!!!) e outro por uma prostituta de 4Oc (mais ou menos)para vencer o Estrela em casa e empatar com o BeiraMar fora?!...

"Escolheram" jogos onde as arbitragens foram normais e os valores de corrupção RIDICULOS.
Isto ao fim de MESES e Meses de escutas, vigias etc !!!...


Tivesse "ISTO" sido como em ITália onde ao que parece TODOS os clubes da 1ª e 2ª divisão foram investigados e era curioso ver resultados!!!

Se àqueles ONZE MAGNIFICOS jogadores juntarmos gente como Alenicthev, Derlei(dos tempos aureos)Jorge Costa ,Baía,Nuno Valente, Benni,P.Emanuel,Pedro Mendes,Carlos Alberto,Lucho, Lisandro, Tarik, Paulo Assunção, Helton,Maniche, Costinha com Mourinho e Jesualdo só PODIA DAR MESMO CAMPEÃO.

TENHAM JUIZO.

Anónimo disse...

ATENÇÃO , HÁ UM NOVO ESPAÇO ONDE PODEMOS INTERVIR PARA DEFENDER E GLORIFICAR O NOSSO AMADO FCP.
APARECE, REGISTA-TE.

http://jn.sapo.pt/blogues/

Anónimo disse...

repararam naquela defesa toda, vendida pelo Porto por mais de 100 milhoes?
e agora q não joga pelo Porto ainda vão descobrir q afinal o Pepe nasceu na freguesia da Marvila portanto um genuino alfacinha...
Amorim

Anónimo disse...

Mas que tem um ascente em Marvila,não me surpreendia...

Anónimo disse...

Estado das Coisas
Contrabando de provas
“O processo disciplinar que utilize escutas está envenenado e contaminado e, por isso, viciado.”


A lei processual penal tem regras rígidas quanto à produção, utilização e valoração da prova, não obstante o princípio da livre apreciação da prova que concede ao julgador larga margem de manobra na apreciação das provas. Pela importância que a prova assume na verificação ou não do crime, na punibilidade ou não do arguido e na determinação da pena ou medida de segurança, ou seja na busca da verdade material, não pode reinar uma lógica de vale-tudo. E não pode porque estamos a lidar com direitos fundamentais, com protecção constitucional que veda em absoluto o contrabando de provas.

Vem isto a propósito da utilização, num processo disciplinar, de meios de obtenção de prova, no caso escutas telefónicas, ordenadas no processo-crime. À luz da lei, tal utilização não pode ser feita. Os métodos proibidos de prova incluem os meios de prova e os meios de obtenção de prova. Logo, é proibida, quer pela Constituição quer pela lei processual penal, a utilização de escutas telefónicas fora do processo-crime. E não é por uma questão de lógica, como diz Vital Moreira, que defende, de forma bizarra para um constitucionalista, esta utilização. É para defesa do Estado de Direito e do direito à intimidade que só pode ser restringido no processo penal e não em qualquer processo de importância menor, como é o caso do processo disciplinar na jurisdição desportiva. Mesmo no processo penal, esta prova só é aceite como excepção para crimes de gravidade mais robusta e com certa especificidade.

A certeza jurídica, a verdade material que se pretende obter com a produção de prova nunca é absoluta, o que significa que a proibição de utilização de certa prova funciona como um limite a essa descoberta. Ainda bem que é assim. É um sistema equilibrado assente numa exigência de superioridade ética do Estado que, sob a égide de um justiça penal eficaz, não esquece os direitos fundamentais, não esquece 40 anos de atropelos, que valem, como diz Costa Andrade, como direitos de defesa e proibições de intromissão ou agressão por parte dos poderes públicos. Agir de acordo com as regras preestabelecidas e no respeito pelas garantias de defesa do acusado é o caminho a seguir. De acordo com a teoria penal da ‘árvore envenenada’, o processo disciplinar que utilize – e, pior, valorize – as escutas telefónicas está envenenado e contaminado e, por isso, viciado.

Rui Rangel, Juiz desembargador


In CM



Contrabando de Provas???!!!...