20 de abril de 2008

"Não fomos humilhados..."

LIGA - 27.ª JORNADA

Estádio do Dragão, no Porto

Hora: 20.30
Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal)

Porto, 2 - Benfica, 0

[lisandro, aos 8 e 82]


FC PORTO:Helton; Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile; Paulo Assunção, Lucho González e Raul Meireles; Tarik Sektioui, Lisandro López e Quaresma

Suplentes: Nuno, Lino, Stepanov, Bolatti, Kazmierczak, Mariano e Farías

Treinador: Jesualdo Ferreira

O ar de alívio que alguns [muitos] adeptos benfiquistas tinham no rosto, após o apito final de Bruno Paixão, não engana. Não se tratava de nenhuma coincidência. Os apaniguados do clube da águia sentiram uma onda de agradecimento pelos Deuses do Futebol. Viram a honra do clube sair quase incólume do Dragão...

O panorama negro em que o "melhor plantel dos últimos 10 anos" se encontrava submergido, fez muitos sentirem a boca seca, antes do jogo. Palpitações no coração. Respiração acelerada. Mãos transpiradas. Um nó na garganta. Perda de apetite. Tonturas.

Mas não era qualquer maleita de difícil tratamento. O que eles sentiam era medo. Puro medo. Quase pânico. Depois da chamada da Polícia, ainda no Bessa, os resultados viciados apareceram em força...

A Académica, inclemente, deu uma lição na pomposa catedral. Os vizinhos da 2ª circular seviciaram-nos, na última réstea de esperança de vencerem algo, esta temporada. E vinha o Porto, logo de seguida. Os 6 milhões engoliram em seco...

Qual Adamastor vestido de Azul e Branco, o Porto parecia um obstáculo quase impossível de contornar. E foi. Mesmo um Porto com 21 pontos de avanço e sem nenhuma motivação efectiva, na disputa da partida.

Um Porto seguro. Dominante. Personalizado. Controlador. E essa foi mesmo a palavra que marcou este clássico. Controlo. O Porto pareceu um manuseador de marionetas...

Imprimiu o ritmo à partida que mais lhe convinha. Acelerava, na procura do golo, quando lhe aprouvia. Circulava a bola, pelas suas linhas defensivas, quando pretendia pausar o esforço. Simples. Prático. Eficaz.

Sem grande esforço, mostrando os seus predicados, o golo surgiu. Cedo. O inevitável Lisandro, deambulando pela frente de ataque, num remate mortífero. Pé esquerdo na bola, e o couro amestrado a anichar-se nas redes encarnadas...

A reacção, ténue, aconteceu mais por imposição do que por mérito de um conjunto que trouxe, para a caçada aos Dragões, umas fisgas que apenas faziam cócegas na couraça indestrutível.

Num jogo de sentido único, sentia-se palpável que bastaria um esticão, um aumento da pressão, para os portistas colocarem outros números no marcador. Exceptuando um remate intencional de Rodriguez, um batalhador nato, a única equipa que precisava de vencer naquele relvado limitou-se...a correr.

O Porto ameaçou, várias vezes, mas estava escrito que seria através do melhor marcador da Liga que o resultado sofreria alterações. Parece fácil, vendo em casa as inúmeras repetições, o trabalho e o instinto predatório do argentino. Mas não é. E alguém devia fazer alguma coisa. Tipo colocar, em rodapé, um aviso para que ninguém tente imitar as proezas de Lisandro. Sob risco de lhes correr mal...

A verdade aparece em todo o seu esplendor. Sem paliativos. Sem filtros. É demasiado Porto para esta superliga da treta. Para o final, encerrando o pano sobre esta produção, ficam as palavras de Chalana: "Não fomos humilhados". Ai o medo, meus amigos, o medo...

8 comentários:

hugo disse...

nao jogam nada, mas que grande choradeira... chora o Rui Costa, chora o Chalana e chora o Luis Filipe Vieira!

Anselmo Santos disse...

Os jogadores dos lampiões ainda estão a tentar descobrir o que os atropelou?! FOI MESMO O FCPORTO!!! Estão a 24 PONTOS tenham vergonha em falar nos arbitros, nos apitos e na fruta! Falem antes dos favores das arbitragens que vos mantiveram na luta pelo 2º lugar, quando na realidade deveriam estar a lutar por NÃO DESCER!!!! Cambada de CORRUPTOS!!! FCPORTO TRI-CAMPEÃO NACIONAL!!!

josé costa bule disse...

Este SLB não tem honra, não tem glória, resumindo não tem nada. Parecem uns passarinhos prontos a ser depenados. Mas cada um tem o que merece e o SLB não merece mais! Dirigentes ruins, jogadores maús e técnicos como Chalana que nem falar sabe, como é que um homem destes pode dar táctica e instruções a jogadores de alta competição, enfim é só rir!

dragao vila pouca disse...

GRANDE PÚBLICO
GRANDE AMBIENTE
GRANDE SEGUNDA-PARTE
GRANDE LISANDRO
GRANDE SUPERIORIDADE
RESULTADO ESCASSO
E NO FIM CHAMEM A POLÍCIA.
Estive no porta 29 às 19,50 não estava lá ninguém da malta.
Pinto da Costa afirmou na apresentação da taça da europa de bilhar que Licha não sai por preço nenhum.É inegociavel.
Um abraço

disse...

- O que acontece a um jogador depois de marcar um golo, se despir a camisola e arrancar a bandeirola de canto?

Toda a actualidade sobre futebol, comentada por 2 benfiquistas, 2 sportinguistas e 2 portistas num blog só:

http://amesaredonda.blogspot.com/

Também a actualidade futebolística é discutida no Águia de Ouro:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Visitem...

Dragaoatento disse...

O Benfica, só não jogou mais porque o FC Porto não deixou!
Quanto ao resto,é bom não esquecer o que o Jesualdo Ferreira disse sobre os adversários mais difíceis esta época.
Entretanto e, se tiverem pachorra, visitem o meu www.dragaoatento.blogspot.com para tomarem conhecimento da minha opinão sobre o jogo.

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

O F.C.Porto não encontra prazer na humilhação dos fracos !

Nicolau d'Almeida disse...

O Dragão esteve mais uma vez lindo para receber os Tricampeões!

O Porto controlou as operações perante um Benfica sem alma, que já nem pela honra joga. Será que aguentam o 4º lugar? Tenho sérias dúvidas!

Uma nota especial para Lisandro que joga como se fosse desde sempre adepto do Porto! Espantosa a paixão pelo jogo que o argentino demonstra! E aquele corte ao Rodriguez foi arrepiante! Aqueles momentos nunca hão-de sair-me da memória...

Enfim, mais uma noite mágica para recordar.

Cumprimentos.