4 de novembro de 2007

Importa-se de repetir?

Que Jorge Coroado tem um ego sobredimensionado, já muita gente se tinha apercebido. Que o ex-árbitro tem uns tiques de personalidade, também não será surpresa para ninguém. Que seja alguém capaz de limar umas arestas na verdade, para a tentar encaixar dentro das suas teorias, é que me parece já um pouco descabido. Vem isto a propósito do facto de ele ser actualmente um "paineleiro" encartado, dando dicas de arbitragem, mostrando a todos o quão sagaz é. Escreve semanalmente no "Jogo", fazendo uma espécie de papel que na política é dado a Marcelo Rebelo de Sousa. Coroado, para além de paineleiro, é analista. E, reparem bem na análise de um lance, referente à 1ª jornada da prova, que envolveu Postiga:

"Hélder Postiga, conduzindo a bola, e ao pisar a linha limite da área de grande penalidade dos visitados, foi agarrado por Rodriguez. A falta começou no interior da área de rigor e terminou fora. O atacante portista ficou impedido de continuar a jogar o esférico. Porque as infracções devem ser sancionadas onde terminam ficou por assinalar um pontapé livre directo favorável ao FC Porto."

O artigo está transcrito textualmente. Lê-se e não se acredita. Adorei em especial o pormenor, até agora desconhecido, de "as infracções devem ser sancionadas onde terminam..."

Por isso, meus caros, arrastem-se mais uns metros, nem que façam umas figuras ridículas, tipo soldado estropiado a locomover-se lenta e penosamente, até à área adversária. Segundo Coroado, é penalty!!!

6 comentários:

gm disse...

Eh eh eh! Deve ser do whisky, coisa em que parece que Coroado é um experto:)

pato donale disse...

Ou seja, um gajo pode muito bem levar umas bordoadas na sua grande área, mas, se se aguentar numa corrida desenfreada até à área do adversário e cair lá por cansaço, o Coroado é adepto da marcação da falta. Ora, ora, se isto for mesmo assim, vamos ter um campeonato surrealista. Quer dizer, o Leo que ontem inventou um livre do qual resultou o golo da vitória encarnada, bem que se poderia ter arrastado uns metros e mergulhado na área e assim poupava trabalho aos colegas.
Tá bem visto. O Coroado é um génio:)

amorim disse...

se não fosse de livre, haveria de se marcar um penalti, os rosinhas tem de parecer q se manteem na corrida, e a faltar pouco para acabar o jogo para não dar espaço a respostas.
São muitos anos a virar frangos da parte do Paixão de Campo Maior

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

O ONZE DA VIDA DE JORGE COROADO
(in O JOGO)

DAMAS
BRIEGEL
HUMBERTO COELHO
BECKENBAUER
ARTUR
PAUL BREITNER
CRUYFF
VÍTOR MARTINS
VÍTOR BAPTISTA
EUSÉBIO
NENÉ

Está tudo (ou quase tudo) esclarecido !

Estilhaço disse...

'Porque as infracções devem ser sancionadas onde terminam'

Eu tb. acredito no Pai Natal...

Ricardo disse...

Olá! Sou Benfiquista e achei o seu blogue um blogue com boas análises e - dentro do possível - imparcial. Quanto a esta regra, já tinha ouvido falar dela. Parece que a FIFA a fez sair cá para fora há dois anos, depois de muito laborioso pensar (imagina-se a quantidade de cabeças pensantes para se chegar a uma lei dessas!). Ora, a verdade é que apesar de coroado até ter razão na lei, ela (a lei) é tão estúpida que nem mesmo o mais estulto dos árbitros a usa, como aliás é óbvio de entender.

Quanto aos comentários, meus amigos portistas, vocês pensem o que quiseresm. Eu vos garanto: benfiquista é que este boçal não é. Encontrem outro bode expiatório, porque este coroado não serve.

Tenho, até, para mim, que ele não é de nenhum clube...