6 de novembro de 2007

Merci Beaucoup

Apesar dos paliativos de Jesualdo, que procura retirar sabiamente a pressão dos seus púpilos, o jogo de logo é DECISIVO. O Porto terá, obrigatoriamente, de vencer, evitando dessa forma a aritmética nos jogos finais, com uma visita a Anfield no programa. Atitude, raça e toneladas de mística à Dragão são os ingredientes necessários para levar de vencida os franceses. Após Marselha, em que os azuis e brancos foram claamente superiores mas não souberam vencer, o palco dos sonhos da Invicta tem que testemunhar, logo às 19.45, o regresso grandioso às vitórias na Champions. Vamos a eles, rapazes!

PORTO, 2 - Marselha, 1
golos: 1-0 (Tarik), 1-1 (Niang), 2-1 (Lisandro)
equipa: helton, bosingwa, bruno alves, stepanov, paulo assunção, marek cech [postiga, aos 58'), raul meireles [bolatti, aos 68'], quaresma, lisandro e tarik [mariano gonzalez, aos 86'].

Bem, como dizia antes do início, este era mesmo um jogo decisivo. E, talvez por isso, a equipa acusou, e de que maneira, a pressão de vencer. A primeira parte, pode-se afirmar com toda a propriedade, foi paupérrima, com um lisonjeiro golo de vantagem ao intervalo, não revelador das carências ofensivas demonstradas, das enormes dificuldades em armar jogo e em pressionar o adversário. O Marselha, matreiro, não surpreendeu por aí além. Useiros e vezeiros na exploração da velocidade dos extremos, com sucessivas bolas lançadas para as costas dos laterais portistas, íam conseguindo controlar o jogo, bem longe da sua baliza.

Se tudo parecia negro, Tarik foi o responsável pelo raio de luz que jorrou no meio da penumbra. Uma recuperação a meio-campo, um slalom empolgante, passando por sucessivos adversários, para culminar com uma frieza glacial, animando as hostes e colocando o Porto, naquele momento, na frente do grupo.

As dificuldades continuaram, com Quaresma, jogando muito adiantado, incapaz de fechar o seu flanco, a aumentar as dificuldades de Fucile, apenas apoiado por Bruno Alves. A 2ª parte inicia-se logo com o golo do empate, num deja-vu recorrente na Champions. Cruzamento da direita e Niang a antecipar-se a Stepanov e a empatar a contenda.

Balde de água gelada no Dragão, que Jesualdo se apressou a rectificar, com a entrada de Postiga, obrigando a linha recuada dos franceses a descer mais, criando espaços a serem potenciados. O momento do jogo, quanto a mim, deu-se aos 68', com a entrada de Bolatti, um recuperador nato, permitindo o controlo efectivo do meio-campo. Imperial pelo ar, o argentino recuperou uma série de bolas logo após a sua entrada, catapultando o Porto para uns 20 minutos finais de excelente nível.

Sem surpresas, o golo da vitória surgiu num cruzamento genial de Quaresma [o segundo num curto espaço de tempo], permitindo a cabeçada vitoriosa do abnegado Lisandro. Sentiu-se que dificilmente a vitória fugiria, com os azuis e brancos a poderem, ainda, ampliar mais o resultado, com 3 claras ocasiões de golo.

Vitória sofrida, mas justa, com a liderança o grupo a permitir uma visita a Anfield sem grandes pressões. Bastará aos comandados de Jesualdo vencerem os turcos na última jornada para, praticamente, garantirem o 1º lugar no grupo.

Destaques:

[+] Paulo Assunção, enorme nos 90', Bosingwa, mesmo jogando algo inferiorizado, Bolatti, pela capacidade de recuperação, que permitiu a retoma do controlo do jogo e Bruno Alves, sereno na defesa e no apoio a Fucile.

[-] A arbitragem, em mais uma exibção desinspirada do homem do apito, algo recorrente nesta Champions. Um penalty sobre Quaresma e um fora-de-jogo, assinalado ao mesmo jogador, quando este se isolava, como erros maiores numa noite em que não deixa saudades. Nos jogadores portistas, a nota negativa vai para Marek Cech, sempre titubeante e cometendo inúmeros erros.

ps: A última nota de destaque vai inteirinha para a contradição, entre o que é proferido com ares doutorais pelos comentadores da tanga deste país pequenino, louvando a capacidade de, e passo a citar, "luta, entrega denodada, exemplo de tenacidade, num jogador de fibra", referindo-se ao preto de carapinha loura do Benfica, e aquilo que qualquer comum mortal vê: um jogador mediano, versão negra de Petit, poupado sistematicamente a expulsões neste cantinho à beira mar plantado pelo beneplácito dos homens do apito. Como na Champions não existem Brunos Paixões e afins e a violência é castigada sumariamente, Bynia foi expulso. Por cá, vai continuar a dar traulitada a torto e a direito, vivendo em impunidade...

9 comentários:

Anónimo disse...

Força MARSELHA ... sou sócio desde pequenino e com as quotas em dia!

Paulo Pereira disse...

Pois, lá como cá, as tuas equipas andam pelas ruas da amargura. Vê lá se hojes ficas [ainda] mais aziado...

bruno tribbiani disse...

Um Tarik fantástico e um Paulo Assunção irrepreensível fizeram do Porto líder do grupo!

E assim se passa na casa do bi.campeão...

Agora no que toca aos 3os classificados........

http://orgulhotripeiro.blogspot.com/

BRUNO ROCHA disse...

Pois bem...melhor o resultado que exibiçao pelo menos ate aos 20 m finais.
Grande Paulo vinha eu no caminho de casa e pensando no resultado e mais pensativo fiquei apos o resumo em horas tardias(a puta da Rtp é sempre a mesma merda) sobre a exibiçao portista...mas logo pela manha esta escalpelizaçao responde a muitas das minha questoes...muito bom!!!!
Ainda assim e baseado no que tenho ao meu alcance, nao posso deixar de ver que o problema Lucho parece longe de estar resolvido, Stepanov começa a dar muitas abebias( o golo do Niang foi quase uma copia do de a 15 dias), anda a dormir no pedaço deixando-se antecipar...Estou enganado ou parece-me que Quaresma se reabilitou um pouco em relaçao as ultimas exibiçoes...Desfaz-me a curiosidade sobre bosingwa quando falas em inferioridade fisica(notou-se alguma recaida..foi substituido???)...Meu DEUS e o que dizer do Maradona TARIK!!!!...e o Postiga entrou bem ou voltou ao marasmo habitual??? O Cech jogou assim tao mal????A exibição nao tera sido a melhor ao contrario da de Marselha, mas segundo sei a vitoria acenta bem e tem mao de Jesualdo , estou certo???Deixou outra questão o futebol explanado chega para ganhar na Amadora ou devemos ficar preocupados com o abaixamento de forma????

obs: Já viram como somos lideres com 8 pontos e nao temos a qualificaçõa assegurada?!?!?!?Ha que pontuar em Liverpool.

Allez Porto!!!

amorim disse...

ó Paulo o moço ao menos vê um bocadinho mais de futebol do q em marrocos, ontem foi um dia bom demais, grande Tarik, grande Fucile e enorme Assunção...
bem Jesualdo, a ler muito bem o andar do jogo e houve muito esforço em campo

Paulo Pereira disse...

Boas Bruno,

O meu comentário até parece um teu. Pareço um Mister a opinar, carago:)
Eu cá gostei do Postiga, entrou novamente com ganas, com sentido de baliza, pressionando a defesa. E, qd se fala do Helder, fala-se da dupla personalidade em k ele parece imerso. Teve um pormenor, logo após o 2-1, simplesmente genial, com uma simulação a tirar 3 adversários do caminho e rematando de seguida com perigo à baliza. Mas depois temos o inverso: um contra-ataque, com os azuis e brancos em superioridade numérica e ele, depois de uma cavalgada a conduzir bem a bola, faz o mais difícil, k era falhar o passe para o extremo, totalmente livre. Coisas...

Eu embirro com o Cech, daí k se calhar tenha pouca paciência com ele. Parece-me k tacticamente terá cumprido, mas sem qualquer brilho ou algo k mereça a pena ser lembrado. O Quaresma, sem deslumbrar, esteve nos melhores lances do Porto. O Jesualdo ganhou o jogo, mexendo e bem na equipa, depois da paupérrima 1ª parte.

O Tarik esteve em grande, tal como o P.Assunção e o B.Alves. Qt ao Stepanov, as falhas comprometedoras revelam ainda alguma imaturidade para jogar a este nível. A rever...

O Bosingwa, vindo de uma lesão, não se coibiu de participar ativamente nos lances de ataque, mas pareceu-me algo emperrado e temeroso nos contactos físicos. Mas a ideia poderá ter a ver com o facto de ambos os laterais terem sido submetidos a muito trabalho.

Abraço,

ps: a liga da UEFA é k me correu mal para caraças. Lá vai o meu 3º lugar ao ar:(

lucho disse...

Paulo:
E então o amigo q era sócio do marselha desde pequenino n fala hj? Que se passa? Vestiu o Kilt e foi apanhar ar? SEMPRE PORTO, ORGULHO ÚNICO DESTE PAÍS.

Estilhaço disse...

Por falar em homens do apito vê lá quem que saiu para a Reboleira...

Ricardo disse...

"um jogador mediano, versão negra de Petit" - acho injusto. Petit é um excelente jogador. Se Binya é um jogador mediano, deixo que o tempo nos possa dizer apesar de lhe ver algumas qualidades um pouco acima da mediania. Quanto a Petit, acho extremamente injusto. Não é por sermos de outro clube que não podemos ver as qualidades de jogadores adversários. Petit não merece, quanto a mim, o epíteto de "mediano". É bem mais do que isso.

"poupado sistematicamente a expulsões neste cantinho à beira mar plantado pelo beneplácito dos homens do apito. Como na Champions não existem Brunos Paixões e afins e a violência é castigada sumariamente, Bynia foi expulso. Por cá, vai continuar a dar traulitada a torto e a direito, vivendo em impunidade..." - Concordo totalmente que Binya tem-se revelado um jogador violento em certos lances e que os árbitros portugueses já o deveriam ter expulso. Mas passo as palavras que dizes sobre Binya para um extremo, excelente jogador, que joga no teu clube. Não será que Quaresma já devia ter visto, esta época e por mais do que uma vez, o cartão vermelho? Sejamos mais justos, digo eu. Com o futebol.