27 de novembro de 2007

Home, sweet home!

O camaronês dos encarnados deve adorar o campeonato luso, com árbitros a sério, que entendem e respeitam a sua forma de jogar. Depois dos 6 jogos de castigo aplicados pela UEFA, que provocou onda de choque e indignação nos responsáveis benfiquistas, o regresso a casa constituiu um bálsamo para a versão negra de Petit...

Os minutos 22, 30, 50 e 57 do jogo disputado no Municipal de Coimbra revelaram a boa forma dos jogadores da Briosa, pois as entradas de Bynia, todas susceptíveis da amostragem de cartão amarelo, não lesionaram ninguém. Talvez por isso, ou por pura benevolência, o juiz da partida resolveu poupar a amostragem do referido cartão...em todas as situações. Assim sim. Toca a distribuir "lenha"!

6 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Já estás (fundamentado na verdade dos factos) a preparar o jogo da Luz !

Grande Paulo !

Ricardo disse...

Concordo. Tal como Quaresma, quando afastou Adalto com o cotovelo, num lance. Quem será mais predominante no jogo da sua equipa? Sinceramente, aceito que não tivessem dado o amarelo ao Quaresma, e nem sequer vou fazer posts sobre isso. Poderias fazer o mesmo e falar de futebol. É para isso que cá estamos (acho eu).

lucho disse...

Também somei as faltas dele em Coimbra... Mas é daqueles jogos em q poderia estar ali a noite toda a dar fruta q n seria punido. Ai ai aquele coração vermelho do benquerença...

Paulo Pereira disse...

Boa Ricardo,

Comparar o lance de Quaresma com Adalto com a brutalidade daquele em que o Bynia é interveniente é mesmo revelador do que "estamos a falar de futebol". Aliás, dado que a linha editorial do blog apenas e só me tem k agradar a mim, logicamente k aqui é debatido o k me interessa.

A importância do Quaresma no jogo do Porto é, indubitavelmente, superior aquela k o camaronês tem nos encarnados. Aliás, será o nosso "mustang" tão influente no rendimento da equipa como o brasileiro Anderson, "acidentalmente" afastado numa disputa de bola pelo grego Katso. E, bem vistas as coisas, a ausência do talentoso jogador não desesperou ninguém e não térá sido por isso k o FCP deixou de vencer o campeonato, conseguindo também uns resultados interessantes na Champions, sem o génio brasileiro.

Por isso, querer, de forma implícita, afirmar k Quaresma faria falta é, talvez, revelador de alguma má fé ou desconhecimento do potencial azul e branco. Ou não?

E será k isto é falar de futebol?

Ricardo disse...

Paulo,

não sei se viste o jogo do Benfica, o que te posso garantir é que os lances em que admitiria que o Binya pudesse levar um amarelo não foram, de forma alguma, lances violentos. Foram entradas mais ríspidas - sem qualquer teor de maldade ou violência - passíveis, quanto a mim, uma ou outra, de amarelo. Como, aliás, a do Quaresma, que é recorrente nele, e não me parece que seja ingénuo aquele braço na rotação sobre a cara do adversário. Talvez tu vejas como inocente, eu não vejo, não digo que Quaresma seja um assassino, mas ele tem, de facto, algumas atitudes menos dignas, que poderiam ser admitidas por adeptos portistas - não é por admitirem esse facto que o Quaresma deixa de ser o grande jogador que é. Comparo apenas a falta passível de amarelo e, nesse aspecto, parece-me que tanto Quaresma como Binya deveriam ter sido admoestados. Podes julgar suspeito - já que sou benfiquista - mas, sinceramente, não acho que a "braçada" do Quaresma tenha sido menos meiga do que as duas ou trÊs entradas do Binya, em Coimbra. É uma opinião. Acho que imparcial. Peço-te o mesmo.

Quanto à linha editorial do blogue, obviamente tens razão. Escreves sobre o que queres, como e quando queres. Apenas falava na vontade que tenho de ver menos temas ligados à arbitragem tão debatidos. Acho que podemos falar mais de futebol e menos dos amarelos que podiam ter sido dados, e dei-te o exemplo do Quaresma, para reforçar a ideia de que tanto de um lado como do outro, se se quiser, há queixas. Então... para quê continuar a eterna desconfiança? Mas, claro... o blogue é teu; longe de mim querer dizer sobre o que deves falar.

Garanto-te que não há "má fé" absolutamente nenhuma quando falo da falta que Quaresma faz. Parece-me, aliás, óbvio que ele faz falta. Faria a qualquer equipa do mundo. Acho o FC Porto uma equipa com um plantel com soluções, mas claramente não há soluções ao mesmo nível para Lucho e Quaresma. Isso parece-me evidente. Não tem de ser um drama, é um facto, quanto a mim. Como, neste momento, sem Rui Costa, o Benfica é uma equipa muito menos forte. Há que aceitar.

Em relação À entrada do Katsou, prefiro não me alongar. Tenho a total convicção da formação e integridade do grego (aliás, bem provadas já esta época quando admitiu que fez penalty sobre Romagnoli e que a Académica teve azar, este fim-de-semana), nunca achei, não acho, nem acharei que ele quis magoar o Anderson. As pessoas falam porque o brasileiro se lesionou, mas com toda justiça e transparÊncia que puderes ter... achas mesmo que a falta foi tão grave assim? Não acho. Há lances de azar. Foi isso que aconteceu, o ano passado.

Já agora... que o FC Porto tenha uma boa noite em Anfield.

Abraço

Paulo Pereira disse...

Ricardo,

Mais uma vez, se queres discutir assuntos pertinentes, sobre futebol e não de arbitragem, tens dezenas e dezenas de blogues onde isso se passa. E sim, também aqui. Como podes constatar, sendo este um blog de temática portista, o assunto aqui abordado é o quotidiano do clube. Já acima deste, tens um artigo sobre...futebol. Podes opinar lá à vontade, aliás como em kk outro. Comentários aqui são sempre bem vindos, desde que, como os teus, dentro das normas de boa educação. Agora, já que entramos no campo da sinceridade, reafirmo com toda a convicção de que não sou imparcial.

Não sou, e pronto. Pode parecer algo desassombrada a resposta, mas é assim k sempre vi o futebol. Com paixão, com emoção e, logicamente, com muita parcialidade:)

E não, também não concordo em colocar as entradas do Bynia ao mesmo nível das intempestivas reacções do Quaresma. Não se trata de aferir o ridículo de saber qual delas é mais agrassiva. Não se trata disso, mas o camaronês ultrapassa a ténue linha da virilidade. roçando em muitas entradas a violência. Opinião imparcial, esta minha? Já respondi acima, mas julgo k, neste caso, posso responder k sim.

Qt ao lance k envolveu o Jurema e o Katso, é chover no molhado a continuação da discussão. Não se pode, novamente, aferir a integridade de um jogador só pk este, num determinado jogo, reconheceu k fez grande penalidade. Sendo um lance polémico, do qual resultou uma lesão grave, continuo na minha: era de evitar a entrada!

Qt à intenção, ou falta dela, não existe um univers alternativo, k nos permita, a nosso bel prazer, modificar as coisas. Se assim fosse, estaríamos novamente, se calhar, nos lados opostos da barricada. Eu a defender Anderson e tu a queixares-te da violência deste, no lance em k lesionou Katso. Ou talvez não. Mas parece-me k, neste universo crispado k é o futebol tuga, os lances de azar dependem, e muito, da cor da camisola de quem o comete...

Abraço, e gracias pela boa sorte. Acho k vamos precisar de umas doses valentes dela:)