25 de setembro de 2007

Bi(s)ngo...em toda a linha!

competição: bwin LIGA 2007/08, 5ª jornada
data: 23.09.2007
local: Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira
FC Porto: Nuno; Bosingwa, Bruno Alves, João Paulo, Jorge Fucile; Paulo Assunção (Sektioui, 83m), Raul Meireles (Bolatti, 63m), Lucho Gonzalez; Quaresma, Edgar (Leandro Lima, 57m) e Lisandro Lopez.
golos: Lisandro Lopez (11 e 67 min)

Foi uma jornada em cheio, os rivais da 2ª circular escorregaram e os azuis viram aumentar o pecúlio angariado até a data, mesmo antes do Derby da próxima jornada. Tal como pedira foi um Porto de mangas arregaçadas aquele que apareceu na Mata Real. Jesualdo voltou a não fazer alinhar os mesmos onze, trocando desta feita Tarik por Edgar (esteve em bom plano). À quinta jornada os Dragões seguem invencíveis, fazem o pleno e conquistam face aos mesmos adversários 11 pontos em relação à transacta época.

Não foi uma exibição de encher o olho, nem de deixar regalado qualquer telespectador, contudo foi com naturalidade que mostramos superioridade em todos os capítulos do jogo (disponibilidade, sofrimento, suor, competência e sobretudo eficácia). Dois tiros que fizeram mossa no dique dos Castores, a equipa da capital do móvel apresentou-se no seu habitual e estilo característico, os comandados de José Mota nem sabem hoje em dia jogar de outra forma, o que só valoriza ainda mais a vitória azul e branca. Pressionantes, com forte atitude, os pupilos do Prof. Jesualdo, jogaram futebol escorreito e delineado com o objectivo de marcar cedo, abeirava-mos-nos do 1º quarto de hora e os Portista culminavam este inicio com o tão desejado intento…
GOLO, Lisandro, contra natura ao desvio para a ala que lhe fora imposto pela presença de Edgol, apareceu descaído pela esquerda e sem pensar duas vezes disparou forte pelo buraco da agulha das redes aguarda de Peçanha, (B.Alves começa a ser o assistente de serviço a Licha, soma duas para golo, a de ontem foi soberba após domínio de bola com o peito). Reagiram os amarelos, mas só lutar e correr não chega, pode dizer-se que foi enérgica (para quem jogara na 5ªfeira, e bem, só não foi feliz na finalização), mas só isso, mais reacção que acção…ainda assim foram colocando pé em ramo verde provocando frissom e pondo em sobressalto a área de Nuno Espírito Santo, a defesa mostrava-se coreácea, capaz de obstar as investidas, Bosingwa comedido a atacar mostrava serviço a fechar defensivamente o seu flanco, dando uma ajuda ainda onde mais fosse preciso, Fucile parecia acordar de alguma letargia dos minutos iniciais e o miolo fazia pela vida, usando da agressividade em detrimento da criatividade, e por esta altura, a entrega de P.assunção e R.Meireles ao jogo era mesmo a melhor arma, aqui ali desequilibrada por Lucho, sempre capaz de resolver num qualquer rasgo de classe...

Na frente Quaresma arrancava alguns dos seus centros e triveladas desta feita com direcção ao farol, que era Edgar, que ia ganhando no espaço aéreo o que lhe era possível, obrigando o Guardião contrário a defesa apertada. Seguia entretida a partida com bola cá, bola lá até ao apito para intervalo. O regresso dos balneários não trazia alterações, mas havia que contar com equilíbrio que o Paços trouxera ao jogo, e era bem verdade que apesar de querer os da invicta não controlavam o jogo. Com surpresa, Jesualdo mexe cedo na equipa trocando o ponta de lança por L.Lima, era inequívoco, procurava-se agora um futebol com posse da redondinha e feito de transições rápidas, aumentando a codicia e faro pelo golo, Bollati era presenteado com mais minutos efectivos de jogo, entrando para o lugar de Meireles (parece longe do fulgor das jornadas iniciais). E foi já com estas alterações em campo que Leandrinho desencanta um passe a rasgar pelo interior direito do ataque, com o argentino (suspeito do costume), a bisar após finalização com classe.
Rude golpe nas aspirações Pacenses, agora com a lucidez tolhida pelo avolumar do resultado, estes não estenderam a passadeira ao rolo compressor que se adivinhava ser a equipa Portista, sempre de um voluntarismo a toda a prova, foram valorizando o espectáculo tentando a todo custo amenizar o placard, algo que não conseguiriam.

Num terreno difícil os azuis geriam agora esforços, não sem que antes do final do jogo estivéssemos perto de novo golo, agora com Tarik (recém entrado por troca com P.Assunção), a proporcionar defesa de recurso a um remate que já todos tomavam como destino certo. O Porto soube aproveitar as veleidades da turma opositora, marcou cedo e soube vestir o fato macaco quando se tornou necessário trabalhar e segurar a vantagem, a equipa voltou a demonstrar colectivo e saúde, o futebol não é de sonho, mas o que consegue vai-nos fazendo sonhar com o Tri, melhor ataque, melhor defesa e melhor marcador por esta altura, melhor é mesmo impossível.

Azul Forte
(+) Lisandro e Edgar, o primeiro por tudo e o mais que possa escrever e que deu ao jogo (é verdade marcou 2 golos), o segundo porque foi atirado as feras sem ter tido ate ao momento grandes chances, mostrou trabalho e fica a ideia que pode ser útil a qualquer momento (eu gostei), a rever.

Azul Desbotado
(-) R.Meireles não que tenha feito um mau jogo mas parece desacreditado das suas potencialidades (talvez porque Jesualdo não o deixa terminar 90m…é sempre um dos substituídos), ontem voltou a correr muito mas com pouca produtividade.

Arbitragem
O Aligator Benquerença, não fez uma má arbitragem, o maior erro foi do seu auxiliar que perto do final da 1ª parte assinalou um fora de jogo a Lucho que se isolava para golo, a sua maior mancha foi mesmo não ter expulso Peçanha. No mais foi levando a água a seu moinho, os jogadores também não complicaram em demasia.

ps: Quarta-feira temos Taça da Liga, a atenção dos azuis e brancos deve ser a máxima porque milagres acontecem. Sr. Prof. não se meta em grandes poupanças lembre-se do Atlético para a taça.
ps2: Como sempre, um agradecimento especial ao Bibó Porto pelo logo e vídeos do jogo.

11 comentários:

rikardo oliveira disse...

o porto mais uma vez está a ganhar mas o futebol que pratica continua o msm, um futebol trapalhão, com passes falhados e individualismo dos mesmos de sempre!
o Edgar apesar de lhe faltar ainda muito trabalho, está a portar-se mt bem, a lutar sp, pode vir a ser uma grande surpresa se bem trabalhado, parabéns eheh
Vamos ver agr a 2a parte

já agora alg me sabe dizer se o Fernando e o Luis Aguiar têm jogado e como se têm portado?

FORÇA PORTO!!

Paulo Pereira disse...

Boas,

Em relação à análise do jogo, discordo um bocado de ti Rikardo. É nestes jogos k se vencem campeonatos, jogando de mangas arregaçadas, lutando com bravura. Só assim se superam adversários como o Paços. Em relação à pergunta k fazes, sinceramente não te posso elucidar muito. Sei k no jogo do Estrela em casa com o Sporting, o Fernando jogou a titular e esteve mal, contribuindo de forma decisiva para o golo inaugural dos leões, através de um atraso mal medido. O Luis Garcia, nesse jogo, entrou na 2ª parte, qd pouco poderia fazer, mas pelo menos trouxe mais vivacidade à partida, tendo tido alguns bons apontamentos.

Abraço,

OFF-SHORE disse...

+ 3 pontos !
mesmo a jogar muito pouco. Claro que o mais importante são os 3 pontos mas penso que podemos e devemos exigir um melhor futebol. Temos equipa para mais
É o tal nível de exigência de que aqui falamos há uns dias atrás.

3 notas:
- a não expulsão do Pessanha. o que seria se fosse ao contrário ?!?
- não me recordo de ver tanto espaço da 1º página da Bola dedicada ao Porto. O que é que eles andam a preparar ? :)
- mau resultado do sporting em casa e ninguém aparece a criticar a arbitragem ?? estranho, muito estranho ...
hoje percebi o porquê:
"não sancionou entrada de Gladstone sobre Matheus, tendo ficado um penálti a favor do Setúbal por assinalar. "

Paulo Pereira disse...

Eh eh eh, essa foi contundente off-shore!
Realmente algo de muito estranho se passa qd a Bola nos dá a primeira página. Gostava de ver uma estatística disso, pois quer-me parecer k, este ano, se podem contar pelos dedos de uma mão essa honraria.
Em relação ao Peçanha, está td dito. Qd um árbitro permite k um jogador tenha aquela atitude, acobardando-se, não pode, legitimamente, esperar ser respeitado futuramente. Se fosse ao contrário, era o Deus nos acuda, com páginas e páginas de artigos de opinião, com os supra-sumos Manha e Delgado a tecerem as críticas costumeiras. Engraçado k já existiu, está época, uma cena idêntica, protagonizada por Katsouranis. Alguém falou dela?
A arbitragem deplorável em Alvalade já está a ser branqueada. Nada de parangonas nas primeiras páginas, comentários vetados ao Carvalhal e lá se escamoteia o essencial: o Sporting safa um ponto graças a erros colossais, entre eles, esse penalty claro k fica por marcar.

Mas o k importa é k foram + 3 pontos para o nosso lado!

Abraço,

soren disse...

Nao sei se voces ja leram isto:

Ministério Público travou PJ no caso Mantorras

A Polícia Judiciária (PJ) queria prosseguir a investigação do designado caso Mantorras, em que eram visados o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e os empresários Jorge Manuel Mendes e Paulo Barbosa, mas o Ministério Público de Lisboa optou por arquivar o caso sem atender a uma proposta de quebra de sigilo bancário de duas contas sedeadas em paraísos fiscais. Em causa estava a averiguação da identidade dos verdadeiros beneficiários de cerca de 750 mil euros provenientes da venda, ao Alverca, de 50% do passe do futebolista que ainda eram propriedade da empresa de Jorge Manuel Mendes.

Esta foi uma das divergências implícitas entre a PJ e o Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do MP de Lisboa, liderado pela procuradora Maria José Morgado. Outra foi a circunstância de, no despacho final do processo, datado de 6 de Setembro, o MP apenas ter apreciado o eventual crime de participação económica em negócio enquanto a PJ catalogou a investigação em redor também do ilícito de peculato e eventual fraude fiscal.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, a PJ estava a averiguar todos os fluxos financeiros decorrentes dos direitos sobre o passe do jogador angolano - sobre o qual, recorde-se, houve a suspeita de que Vieira se teria apropriado de parte das verbas, por ter sido dono de 60% do passe e ter tido intervenção no negócio enquanto líder do Alverca e gestor do Benfica - e deparou-se com uma declaração falsa por parte de Jorge Manuel Mendes, que seria descoberta após o levantamento do sigilo bancário de uma conta das ilhas Caimão da "off-shore" "Almond".

Conta descoberta

Por 50% do passe de Mantorras, este empresário recebeu 1,6 milhões de euros e desse dinheiro transferiu 750 mil euros para a referida Almond. De seguida, fez constar na contabilidade da PGD, a sua empresa portuguesa localizada em Coimbra, que essa verba seria para pagar a um empresário do Paraguai de nome Francisco Ocampo, com vista à aquisição de parte dos direitos de dois jogadores paraguaios.

Acontece que, depois destas declarações de Mendes no processo, o sigilo bancário da conta da Almond nas ilhas Caimão foi levantado e a PJ descobriu que os titulares da conta eram o próprio empresário e a mulher e não qualquer emissário do Paraguai. Confrontado pela PJ com esta descoberta da investigação, Jorge Manuel Mendes remeteu-se ao silêncio.

Dinheiro repartido

No mesmo procedimento de quebra de sigilo, os investigadores detectaram que os 750 mil euros foram desdobrados em duas tranches de 324 mil euros que seriam transferidas para contas de duas outras sociedades de paraísos fiscais a Minshall Management Inc. e a Hervey Management Ltd. As contas destas duas entidades estavam sedeadas em Caimão e na Zona Franca da Madeira. Razão pela qual a PJ sugeriu nova quebra de sigilo, a fim de conhecer os verdadeiros beneficiários do dinheiro e eventualmente confirmar se seriam Jorge Manuel Mendes e um sócio, que entretanto foi viver para o Brasil e nunca foi encontrado pela investigação.

Só que o MP acabou por ignorar esta proposta e optou por arquivar o caso. Conforme o JN ontem noticiou, um dos principais argumentos foi o facto de não terem sido encontrados sinais de fluxos financeiros indiciadores de que Vieira possa ter ganho dinheiro ilicitamente com os negócios de Mantorras. Isto apesar de DIAP de Lisboa ter classificado como sem qualquer credibilidade a versão de Vieira no que toca à data de um contrato de cedência, ao Alverca, de 60% dos direitos sobre o passe de Mantorras de que era detentor em nome pessoal.

Mais exemplo vergonhoso de falta de isençao desta pseudo justiça portuguesa.

Paulo Pereira disse...

Muito me contas Soren. Como dizes, é mais um belo exemplo da justiça que se tem neste País.

Por acaso não te importas que use essa informação num próximo artigo?

Abraço,

soren disse...

Paulo,

Força nisso, por mim tás à vontade. Aliás, isso já é do domínio público, tendo vindo a ser relatado em alguns (poucos) jornais, nomeadamente o crime.

Abraço,

soren disse...

Em relação ao jogo, aqui fica a minha opinião:
A entrada do Leandro e a forma como foi decisivo para matar o jogo, revela que Jesualdo estava errado ao mante-lo no banco e na bancada.
Gostei do Bolatti que finalmente entrou antes dos 83 e dos 91 minutos.
Também esteve muito bem ao meter o Edgar de inicio.

O Lisandro é um verdadeiro jogador à Portoe o Lucho é de um sentido posicional fora do normal.

O Porto manteve o que de melhor tem tido desde o inicio da época, toda a gente luta do principio ao fim e a equipa é muito solidaria. Enquanto continuarem a lutar assim vao ganhar porque sao melhores que os outros.

De resto, aquele fiscal de linha deve andar a precisar de uma consulta rapidamente porque aqueles olhos nao funcinam (ou se funcionam o senhor deveria parar de ser hipocrita e começar a jogar de rosa) e o Jesualdo continua a nao ter mao no Quaresma.

Primeiro, marca os livres todos. Corre 60 metros na 1a parte para marcar um livre do lado oposto. Uma desgraça, total displicencia e falta de humildade. Continua a nao dar o corpo à bola em muitas jogadas.

Para acabar ha um lance na segunda parte em que o Quaresma tem a bola dominada, o adversario batido e para a jogada para discutir com o arbitro. Um treinador com pulso te-lo-ia posto na rua imediatamente.
Tanto talento e tanta falta de humildade.

Gostei muito do Edgar. Para primeiro jogo, nao esta nada mal.

Para mim, quando Jesualdo esta mal, esta mal, quando esta bem esta bem...é mais ou menos como ele diz, "quando pudemos jogamos bem quando nao pudemos jogamos mal".

AMORIM disse...

Podia-se colocar no lado dos positivos o João Paulo, para quem se deve tar a sentir examinado ao promenor não nos deixou ficar mal...

a intensidade do Paços é igual á do Boavista, sempre q jogam connosco, muita porradinha...

BLUE DRAGON disse...

Não sei alguém já reparou, mas o F.C Porto, foi a única das equipas envolvida nas competições europeias a ganhar nesta jornada, por sua vez tinha sido a única a pontuar na jornada europeia.
Ainda alguém tem duvida que o nosso FCP é melhor plantel a actuar em Portugal?
Força Porto!!!

Anónimo disse...

Ah! Pois... eu vi logo... notícia publicada n'O Crime. Eh eh eh! - Tá bem tá....