11 de agosto de 2007

Paixão strikes back!

Hoje nem me vou alongar nos comentários. Era por demais evidente o que se pretendia, quando se nomeia um árbitro de passado tão tenebroso. Conseguiram. Já de seguida, continuará em curso a campanha de branqueamento de mais uma arbitragem deplorável. Ia para escrever de merda, mas contive-me, pois é possível que a estas horas ainda andem por aí menores.

As parangonas dos jornais falarão da sagacidade do técnico leonino, das prestações excelentes dos atletas de Alvaladade, dos méritos de uma equipa jovem, blá, blá, blá...

Outros apontarão o dedo a Jesualdo, pelo conservadorismo que nos custou mais uma Taça - que raio de meio campo era aquele? - escreverão palavras azedas sobre as pálidas exibições portistas, brindarão Quaresma com adjectivos menos próprios mas, aposto o que quiserem, Bruno Paixão não será beliscado...

Nada de fotos nas primeiras páginas, nada de títulos sensacionlistas. Nada de nada. Umas palavras benevolentes, na apreciação do dito cujo, destacando o auto-controle, a capacidade de manutenção da disciplina, etc, etc, etc...

Se calhar, quase tudo escrito acima é verdade. É possível. Mas destaco dois momentos que me ficaram na retina:
1 - Adriano, isolado sobre o lado esquerdo, vê a jogada interrompida pelo árbitro para...prestar assistência a um jogador do Sporting!
2 - Tonel, aos 52', num vôo acrobático, dentro da área, corta a bola com a mão!

Palavras para quê? O branqueamento já começou. Dizia um dos bobos de serviço da RTP: "anh...uhhh...pois...parece um lance polémico", ao que o outro ripostava "pois...é grande penalidade...mas é um lance muito rápido...impossível de ver pelo árbitro".

BOLAS, E EU A PENSAR QUE TINHAMOS SIDO ROUBADOS DE PROPÓSITO! AFINAL FOI POR ACIDENTE!

10 comentários:

Nelson Gonçalves disse...

Não podemos escamotear que não jogamos nada, Paulo. Mesmo nada. A estratégia foi um desastre num jogo em que tivemos sempre o dominio, mas raramente o aproveitamos para alguma coisa. E lá se foi uma taça por burrice própria, apesar desse penalty a que te referes. Sendo marcado, tudo seria diferente. Mas repito, Jesualdo é que perdeu a Supertaça.

Paulo Pereira disse...

Não concordo minimamente, Nelson. Não pretendo fazer a apologia de Jesualdo, dado que nunca fui grande defensor do técnico portista, mas considero que as críticas já ouvidas são injustas. É certo que o Porto não jogou bem, mas também referes que teve o dominio do jogo. Estamos no inicio de época, falta a integração plena de muitos jogadores - e não me refiro apenas e só a Lucho - por isso a consttuição da equipa tb se ressente disso mesmo. Qualquer adepto, logicamente, quereria ver Leandro Lima de inico, mas o professor optou por dar uma maior coesão ao meio-campo, tornando-o mais musculado. O Porto foi abatido num lance de génio, por uma equipa que sempre nos foi inferior. Qt à arbitragem, não retiro uma vírgula. Sempre existiram e continuarão a existir erros arbitrais, mas temos k destrinçá-los. Os acidentais e os outros. Não acredito em coincidências, se estas envolverem o nome de Bruno Paixão.
Logicamente se vires hj as capas dos jornais, parece k nada se passou, nesse campo. É assim a vida neste País!

jorge almeida disse...

Já estou farto desse merdas do Paixão. Grande cabrão, rouba sempre para o mesmo lado. Eram juntá-lo ao Jesualdo e mandá-los para bem longe. Que dupla!

joão serrão disse...

Não foi só o árbitro que prejudicou o Porto! O Sr. Jesualdo também porque não colocou a melhor equipa em campo e usou uma táctica demasiado previsível (o P. Bento também) e a 15 minutos do fim voltou a desiquilibrar a equipa (até parece que queria perder) pondo-a a jogar com menos um, metendo o KAZ (apesar daquele engano do remate ao poste). Tem boas escovas, pasta e água... mas parece que já não sabe escovar os dentes!

joão torgal disse...

Jogar com um meio-campo com Paulo Assunção, Raul Meireles e Marek Cech não é jogar para empatar. É jogar para perder. Nenhum desses gajos sabe fazer um passe para a desmarcação, um drible ou uma finta. Praticamente só sabem defender. Jogámos contra uma equipa que não jogou nada, que nada fez para ganhar. Mas ganhou, porque nós simplesmente quisemos perder. Já no ano passado depois do titulo achava e agora ainda mais: o Jesualdo tem de ser despedido e rapidamente.

sérgio fernandes disse...

A mão já estava no ar, pois tonel lança-se a bola e quando está no ar, a bola vem de encontro ao braço raspando de leve e indo parar nas melhores condições ao jogador do porto, não foi mão há bola, mas sim bola há mão...Não é penalty nenhum

Paulo Pereira disse...

Ora nem mais, agradeço desde já ao especialista em arbitragem, com profundos conhecimentos de física, que nos deu a honra de por aqui passar. É uma explicação para o lance, tenho que reconhecer. Existem outras. Podias dizer, Sérgio, que a mão não era do Tonel, que foi colocada ali só para o incriminar, ou mais qualquer bacorada, mas optaste por essa.
Engraçado que, quem quiser usar essa tua argumentação, resolve logo de uma assentada o golo do Ronny em Alvalade. Foi bola na mão, e está tudo dito!

Anónimo disse...

http://www.voteyourteam.com/

Vamos elevar o nome do nosso Grande FC PORTO.

Votem agora, e 1 hora depois podem voltar a votar.

Anónimo disse...

Brupo Paixão foi uma autêntica vergonha mas, mais que isso, é o facto de termos como treinador (será mesmo??????) Jesualdo Ferreira, que com a equipa no ano passado ganhou um campeonato com um ponto de avanço porque tinha apenas 30 jornadas! Uma vergonha que ao longo destes anos o FCP não tenha acertado com a maior parte dos treinadores! de que vale investir-se em jogadores de qualidade se depois não há ninguém que os treine??? foi assim com Octávio, Fernando Santos, Couceiro, e agora este! equanto for treinador não vejo mais nenhum jogo! uma vergonha este indivíduo

Bruno Pinto disse...

Paulo, devo dizer que não gosto de quando Jesualdo Ferreira começa a inventar e a colocar um meio-campo com três jogadores defensivos. Não gosto, vai contra a natureza da equipa. Uma equipa como o FC Porto deve jogar SEMPRE com um '10'. Se Leandro Lima é ainda imaturo, então que se volte ao mercado porque tem de haver alguém que pense o jogo naquele meio-campo. E atenção que Lucho pode disfarçar essa lacuna, mas também ele não é um '10', mas mais um médio de transição.
Não concordo com as críticas tão veementes a Jesualdo aqui expressas, mas admito que a atitude do técnico portista não condiz com o seu discurso ambicioso. Jogar com o Sporting na contenção não se admite, cada vez que Cech joga no meio-campo dá mau resultado, é urgente que Jesualdo aprenda de uma vez que o gajo é defesa!
Quanto ao jogo, foi fraco e equilibrado, embora com ligeiro ascendente portista. O Sporting pouco mais fez que o golo - magnífico, diga-se - de Izmailov, enquanto o FC Porto mandou duas bolas ao poste e teve alguns cruzamentos de relativo perigo. Foi uma derrota injusta, na minha opinião.
O árbitro Bruno Paixão esteve mal, ao não assinalar um penalty claro, prejudicando o FC Porto e influenciando directamente o resultado. Foi pena!