8 de agosto de 2007

Notícia boa do dia


Pois, isto tem muito que se lhe diga. Deve ser a isto que chamam o ying e yang ou o que raio é. Cosmicamente, já me apercebi, alguém ou alguma coisa, devem premir uns botões para ir contrabalançando o que se passa neste planeta. Vai daí, espetam-nos com uma notícia que provoca apreensão, raiva e mais uma quantidade astronómica de sentimentos mesquinhos, com a notícia de que Bruno Paixão vai apitar a Supertaça.

Depois, como forma de apaziguar ânimos, vem o "rebuçadinho" para adoçar a boca. A notícia boa do dia. Lucho Gonzalez, um dos mais prezados atletas do plantel portista, é, desde já, atleta de corpo inteiro do FCP. Aos 50% do passe, detidos pelo clube e que tinham custado 3,6 milhões em 2005, o Porto desembolsa agora a módica quantia de 6,65 milhões, tornando o jogador o maior investimento do clube, na sua já longa história. Deve acabar, por aqui, o folhetim que alimentava a pré-temporada, com Lucho de malas aviadas para sitíos tão díspares como Valência, Madrid ou Liverpool, terra do Everton.

4 comentários:

jorge almeida disse...

É mesmo uma excelente notícia. Gosto bastante do Lucho e, como dizes, agora deve ter sido colocado um ponto final na novela que ameaçava eternizar-se.

Um abraço,

Bruno Pinto disse...

Paulo, foi mesmo uma bela notícia. O namorico ao Valência não se esquece, mas interessa agora é mantê-lo na equipa. E para o ano quem o quiser que se chegue à frente que nós aqui não vendemos a preço de saldo. É bom ver o FC Porto a enfrentar estes tubarões endinheirados!

dragão de lisboa disse...

Até agora foi a melhor notícia de toda a pré-época. O FCP precisa muito do Lucho e é uma alegria ter um jogador de classe mundial destes. Cada vez mais fortes! FORÇA PORTO!!

sidefreak disse...

Agora o cúmulo era vender o Lucho. Claro que economicamente era um negócio fenomenal, pois bastava uma oferta pouco superior a 13 milhões para valer os 50% pagos agora (e como parece, já ouveram ofertas bem superiores), mas já no plano desportivo...

Por outro lado, a venda, por parte da entidade que os detinha, destes 50% poderá fazer-nos pensar que o Porto não estava de facto interessado em perder o Lucho. :)

Boas notícias por isso.