18 de julho de 2007

FC Porto - Genk

data: 18.07.2007
local: Estádio do Genk (Bélgica)
resultado: Genk, 1 - FC Porto, 0
Finalmente. A bola já rolava desde o início do estágio, mas jogos na TV, para matar saudades, nicles. Até hoje. E o cartaz até prometia. O adversário mais difícil, neste início de época. O Genk, surpreendente 2º classificado do último campeonato belga, prometia dificuldades acrescidas. E elas vieram. Em número anormal. Mas comecemos pelo princípio. Um Porto algo renovado, onde Anderson e Pepe, já noutras latitudes, deixaram apenas uma enorme saudade. A equipa alinhou assim, de início:
Nuno; Fernando, Bruno Alves, Pedro Emanuel e Lino; Raul Meireles, Paulo Assunção e Kazmierczak; Jorginho, Adriano e Ricardo Quaresma.

Fernando, uma das caras novas do plantel, no lugar de defesa-direito, como a novidade principal. O jogo, iniciado num ritmo frenético, mostrou que a estrela da companhia é...Ricardo Quaresma. Um festival de fintas, passes e cruzamentos milimétricos que provocaram o sobressalto na defesa belga. Duas oportunidades de golo, desperdiçadas de forma quase inacreditável, ambas as vezes por Adriano. Para não variar muito, depois da expulsão exagerada de Lisandro contra o Den Bosch, novo erro arbitral, ao não sancionar um penalty do tamanho do mundo, com Jorginho a ser literalmente atropelado pelo guarda-redes contrário.

Se a pontaria não estava afinada na frente, lá atrás, no último reduto, as facilidades concedidas começaram a ganhar foros de escândalo. Numa delas, uma fífia monumental de Pedro Emanuel permitiu o golo adversário. E não mais, a partir daí, o Porto criou perigo. Incapacidade gritante de sair com bola jogável, e os pontos fracos do costume:
Jorginho, a fazer papel de jogador de futebol;
Os livres, onde apesar de Lino vir aureolado como especialista, é Quaresma que continua a marcá-los...mal;
Um meio campo musculado, mas que não cria jogo em quantidade suficiente;

Se as coisas não estavam a correr bem, a dureza excessiva dos belgas também fazia pressagiar o pior. Habituados a um futebol mais rude, feito de músculo, onde a distância entre a agressividade e a violência é ténue, o jogo, que se pretendia particular, começou a ter sérias semelhanças com um qualquer confronto sul-americano. Não sei se embuído de um qualquer sentido de justiceiro, Bruno Alves, que ainda recentemente se vangloriava de poder ostentar, sem receios, a braçadeira de capitão, resolve mimosear um adversário com um gesto à Mozer. Ou seja, cotovelo a trabalhar, de forma a projectar a cabeça e demais apêndices do incauto adversário para trás. Mas, para azar nosso, Bruno Alves não tem a impunidade que sempre protegeu o central brasileiro. E assim o Porto jogou, desde os 36 minutos, em inferioridade numérica.
No intervalo, entraram Cech, Bolatti, João Paulo e Luís Aguiar e sairam Lino, Paulo Assunção, Raúl Meireles e Kazmierczak. Tal como na 1ª parte, o Porto tem uma entrada dominadora, com Jorginho a falahr nova grande jogada de Quaresma. Pouco depois, lance de apuro na área belga e mais do mesmo. Falta clara sobre Adriano, novo penalty sonegado aos Dragões. Nada a que não estejamos já habituados. O jogo pouco mais teve de interessante. Picardias constantes, pouco futebol e o apito final, a trazer a primeira derrota neste pré-temporada. Nada de preocupante, dado o maior grau de preparação dos belgas, com a pré-eliminatória da Champions à porta.
No Porto, gostei do provável dispensado Fernando. Sem ter feito uma exibição de encher o olho, o jovem brasileiro jogou adaptado à lateral-direita, tendo feito um jogo quase isento de falhas, mostrando enorme abnegação. Quanto ao resto, só deu mesmo Quaresma, Quaresma, Quaresma...

8 comentários:

joao almeida disse...

Não é caso para preocupação, mas também não falta assim tanto para o dia 11, Supertaça. Mas, confesso, com tanta picardia, tanto erro caseiro do árbitro, desisti de ver até ao fim. Venha o futebol a sério e, de preferência, com melhores árbitros.

Um abraço,

Anónimo disse...

Já chateiam. Ainda nem é a sério e já se queixam dos árbitros. Mania da perseguição, é o que é.

Paulo Pereira disse...

Eia, hoje é dia de a malta anónima sair da casca. Ó meu morcão, por acaso lês em algum lado quaixas sobre o homem do apito? E, quando elas são feitas, provavelmente até temos razão, comprovadas por fotos, vídeos e demais panóplia de tecnologia k nos vai permitindo abalar a crença generalizada de k somos beneficiados. Como não me apetece estar por aqui a trocar argumentos com malta k nem o nome escreve, fica aqui o desafio:
apareces por aqui, sempre e quando te apetecer, e disparas um lance em que tenhamos sido beneficiados ou o teu clube de coração prejudicado. Apões-lhe a data, local e demais informação. E eu respondo com outro erro, contrário e lesivo das minhas cores. Vamos lá a ver depois a quem é que se acaba o reportório primeiro. Tá feito o desafio...

ps: Por acaso até fomos, grandemente e de forma ostensivamente caseira, prejudicados no jogo com o Genk!

Nelson Gonçalves disse...

Como dizes, Quaresma, Quaresmas e Quaresmas. Entrou cheio de gás, com um festival de habilidades que deu gosto ver. Vamos ter um Harry Potter em grande!

carlos soares disse...

Paulo, só deu mesmo Quaresma e pouco mais. Foi, na minha opinião, uma exibição demasiado pobre do Porto. A rever futuramente. É claro que faltam jogadores nucleares: Bosingwa, Lisandro,e talvez Leandro Lima traga alguma fantasia, mas a exibição deixou-me algo apreensivo.

Anónimo disse...

acho que até dezembro, enquanto o jesualdo não sair, não vamos sair disto. 4 defesas e 3 trincos, sem um único organizador de jogo. prevejo um futuro negro ao porto, ainda mais com avançados que nem no leiria teriam lugar. seria bom vender todos os pontas de lança, excepto lisandro que tb pode jogar aí, e comprar dois de qualidade reconhecida, nem que seja por 10M.

BRUNO ROCHA disse...

Eu Sou dakeles Dragões que perder nem nos jogos particulares..Mas se ha jogos que deviamos perder era esses mesmo e todos a exepção do jogo de Apresentação aos socios e adeptos( por sinal ganhamos kuase sempre e com boas exibicoes.Mas o jog de ontem apesar de mal visto , deixa mto k pensar...disciplina ou falta dela..k futebol é akele apresentado...vamos viver outra vez do quaresma e da sua pretensa magia k por vezes tanto me irrita de tao teimoso e improficuo se torna?????Não auguro nada de positivo a esta ekipa, acredito k podemos fazer melhor pork tb o plantel nao é assim tao mau...Nao entendo tanto estagio sempre com o plantel em revoluçao de saidas entradas de jogadores mediocres...

Os novos..
Lino uma merda tá confirmado.
Bolatti tanta celeuma ainda nao mostrou nada a nao ser sabe dar porrada ..encontramos o nosso PETIT..
Aguiar: Prometeu mto no inicio do estagio mas tem perdido fulgor.
F. Reges: se e para ser emprestado de certo vao la ficar piores...
Kaz: Isto nao é o Boavista...
Nuno: Não Faz a diferença e mto menos vai dar luta ao Sorna do Helton..Esperem pra ver o helton este ano.
Os Velhos: a mesma merda de sempre uns melhores outros iguais..

Não haver uma vassoura e dar a vassourada geral...jorginho era o primeiro..

Hoje é alegria dos "pasquins lisboetas " amenizada pela derrota dos leões.

bruno sousa disse...

Paulo, se é verdade que Quaresma teve uns rasgos de magia, parece-me k o extremo este ano, talvez para aguçar ainda mais o apetite dos ricos clubes europeus, tente individualizar e adornar os lances, ressentindo-se a equipa disso mesmo. Quanto a ontem, gostei de Nuno, com uma prestação positiva e de Fernando, k me deixou boa impressão. Quanto ao resto, uma perfeita nulidade.