27 de junho de 2008

Porque não te calas?

Fosse este artigo escrito pela nobre pena do Rei Juan Carlos, monarca das terras de nuestros hermanos, e Platini veria a sua incontinência verbal barrada desta forma, rude.

O actual presidente da UEFA, agora empossado no papel de nobre paladino, defensor das virtudes alheias, voltou às luzes da ribalta, atacando novamente, para gáudio da populaça lusa, a inclusão do Porto na Champions.

Fundamentalmente, no discurso agora trazido à estampa, Platini nada de novo profere. Volta apenas a frisar que não vê com bons olhos a participação portista na próxima edição da mais elitista prova de clubes.

É pena. Tinha Platini, apesar do seu notório chauvinismo, na conta de uma pessoa medianamente inteligente. Mas o francês procura, de forma denodada, demonstrar o contrário. Já deveria ter percebido, passado este tempo todo, que a decisão Comissão do CD da Liga de Clubes foi alvo de recurso. O resto é meramente acessório. As discussões jurídicas, entrando no território dos doutorados em Direito, apenas servem para alimentar páginas de jornais. A realidade é apenas uma. Existe um recurso. Ponto. O que significa, grosso modo, que o Porto, seja como entidade ou na figura do seu presidente, continua a pugnar pelo bom nome do clube, recorrendo da aberração proferida por Ricardo Costa e seus pares.

Não deixa, no entanto, de me provocar um sorriso de condescendência esta implicação de Platini pelo azul e branco. Tal como à mulher de César, para ser honesto não basta parecê-lo, proferindo amiúde as suas virtudes na imprensa. Platini construiu todo a aura à volta do seu nome, não apenas por jogadas de génio, mas fundamentalmente pelos troféus conquistados. Muitos deles na Juventus. A “vecchia signora”, secular clube italiano, é comprovadamente um dos maiores corruptos do velho continente.

Até hoje, mesmo qualquer Dalai Lama empossado de toda a paciência do Mundo, já teria achado que o silencio de Platini, sobre os casos de corrupção italianos, é revelador da dualidade de critérios morais que norteia a vida do francês. O Milão, condenado em Itália, jogou a Champions no ano seguinte, vencendo-a de forma incontestada. O mutismo a que a UEFA se remeteu foi suficientemente esclarecedor. O de Platini também.

Ficaria bem ao francês, nesta cruzada agora encetada, recordar publicamente a forma pouca honesta como a sua Juventus conquistou a Taça das Taças ao Porto, com o árbitro da ex-RDA, Adolf Prokop, a ser o principal ponta-de-lança dos transalpinos. Platini, mais uma vez, beneficiou de uma arbitragem pouco isenta para enriquecer o seu currículo como jogador. Depois de o ouvir fazer um mea-culpa mediático, sobre o caso, aí sim, acharia que o francês afinal possui uma coluna vertebral direita.

ps: Seria demasiado fastidioso relembrar que, sem a Juve e os seus cozinhados arbitrais, a aura de grande futebolista de Platini não seria o que é hoje. E é pena. Porque o francês vive de uma mentira. Idêntica aquela Taça dos Campeões, ofertada por mais um clamoroso erro do juiz de campo, na tristemente celebre final do Heysel. Um penalty mentiroso, convertido por Platini, impediu o Liverpool de erguer o troféu.

Caro Platini, porque não te calas?

2 comentários:

Dragaoatento disse...

Olá!

Quanto ao Platini afirmo : "quando abre a boca ou entra mosca ou sai asneira"!

Ainda a respeito do sr.JMourinho.
É claro, cada cabeça sua setença.
Na minha opinião,e não está em causa o seu valor profissional,o homem passou-se para o inimigo.
Sempre ouvi dizer quém não é por mé é contra mé.
Dado o comportamento passado e actual do dito cujo,não vejo motivos para o endeusar.Continuo a lamentar certas atitudes dele,inclusive o seu silêncio,contra o FC Porto.
tenho a certeza que o Paulo não é ingénuo ao ponto de admitir que esta aproximação para a apresentação da equipa da "corja" como lhes chama,não tenha raízes mais profundas,ou pelo menos predisposição para os abraçar como amigos.Teve que haver conversas sobre o caso...etc...etc
Senão,repare, neste momento é ou não inviável qualquer gesto de simpatia ou até de aproximação para com o FC Porto da parte do JMourinho?E se é inviável, não sei de que está à espera para retirá-lo do pedestal onde o colocou!
Mas enfim,cada cabeça sua sentença.

Abraço

Armando Monteiro

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

O Platini foi um grande jogador mas , como dirigente , é uma nulidade .

Tais declarações só revelam que , de facto , não está preparado nem tem categoria para ocupar o lugar que ocupa .

Au revoir