3 de maio de 2008

Descompressão Nacional...

Bwin Liga, 29.ª jornada
Porto, o - Nacional, 3
[fábio coentrão, por 2 vezes; juninho]

Estádio do Dragão, Porto

Hora: 19:30
Árbitro: Paulo Paraty (Porto)

FC PORTO: Helton; Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Lino; Paulo Assunção e Raul Meireles; Mariano Gonzalez, Lucho Gonzalez e Quaresma; Lisando López.
Suplentes: Ventura, Fucile, Stepanov, Bolatti, Adriano, Farías e Tarik.
Treinador: Jesualdo Ferreira

Numa semana em que o País regressou à normalidade, com os moralistas bacocos a não se preocuparem, desta feita, com a equipa apresentada por Jesualdo, os madeirenses do Nacional voltaram a pregar uma partida no Dragão...

Os comandados de Jokanovic conseguiram uma proeza que merece ser salientada. Numa época em que os Dragões foram donos e senhores do campeonato nacional, dominando a prova a seu bel-prazer, os madeirenses venceram os azuis e brancos...por duas vezes.

Se na visita à Madeira, esse feudo "democrático" de Alberto João Jardim, os portistas efectuaram uma primeira parte longe dos pergaminhos do clube, podendo queixar-se dos ferros da baliza adversária, na segunda metade, e de um penalty do tamanho dos Clérigos, por assinalar, desta feita a culpa pode ser apontada à...descompressão.

Foi um Porto atípico aquele que hoje pisou, pela última vez, o relvado do Dragão. Abúlico, desconcentrado, pouco pressionante, concedendo espaços aos velozes opositores, mostrando um lado até agora desconhecido...

Compreendo a descompressão, sendo esta mais psicológica do que um voluntário "levantar o pé". Uma diferença de qualidade abissal para os mais directos adversários, uma margem pontual obscena e um título vencido com justiça, de forma antecipada, retiraram aos Dragões a motivação necessária para encarar estas últimas partidas...

Foi pena. Uma carreira caseira praticamente imaculada, apenas com um mísero golo sofrido, que teve hoje um epílogo inesperado, ao género do "twist" tão em voga nos filmes americanos...

Se no género cinematográfico a surpresa, o tal "twist" ou reviravolta, acontece sempre nos minutos finais, no bem cuidado relvado do Porto ela começou a ganhar forma bem cedo. O Nacional, jogando numa toada de contra-ataque, soube sempre tornear a defensiva portista, lançando o pânico em investidas velozes, tecnicamente irrepreensíveis.

Foi um justo vencedor. Dois golos de belo efeito, ambos na primeira parte, concretizados por uma jovem promessa portuguesa, fizeram adivinhar o descalabro no resultado. A segunda metade mostrou um Porto esforçado mas claramente desinspirado, pouco letal na finalização, não conseguindo marcar o golo que, possivelmente, catapultaria a equipa para um forcing final...

Uma triste despedida da Superliga, nos jogos na Invicta, mas sabendo também que, apesar do travo amargo da derrota, esta surgiu na altura certa. Quando não podia fazer mossa na classificação.

9 comentários:

Anónimo disse...

Acabou finalmente, para cúmulo com um humilhante 3º golo sofrido, o jogo mais vergonhoso da nossa equipa. É o que acontece quando jogadores há a pensarem já em transferências... Aliás só não aconteceu antes por se ter defrontado equipas nervosas, logo que apareceu um grupo calmo, foi isto... É preciso que sejam chamados à razão, senão ainda acontece algo penoso na final da Taça...
A. P.

Tiago Araújo disse...

Que desgraça...
Mas não faz mal,somos tri-campeões.

Anónimo disse...

O que é NACIONAL é BOM!!!

AZUL DRAGÃO disse...

Vitória justíssima do Nacional .
Parabéns !

E se o Nacional dependesse do resultado o que estaria a acontecer agora ao F.C.PORTO ?

BRUNO ROCHA disse...

Sinto-me desolado com a debacle da equipa de Jesualdo...se a semana passada conseguiu passar a mensagem esta semana parece-me que andou demasiado ruido no ar a volta de jogadores com transferencias e outros discursos..
Sou do tempo que normalmente e por epoca o Porto tem sempre um jogo mau, irreal e amargamente pouco consentaneo com os meritos granjeados ao longo dos tempos...
Tudo bem concordo que este resultado ate pode ser o chamado abre olhos para a taça e nos faça por os pes no chao e viver da seriedade que temos patenteado e aclamado..3-0 no Dragão com registos recordistas a poderem ser ultrapassados com tanto discurso para no final a bota nao bater com a perdigota..Felizmente nao assiste via tv ao enterrar da Bwin no Dragão, mas estou mais triste ainda porque no dia em que a minha filha vem para casa, recem chegada a um mundo que se quer cada vez mais azul e branco, somos brindados com esta brincadeira de mau gosto..e´certo que este resultado nao apaga a classe evidenciada ao longo de 28 jornadas , mas fica muito mal copiar os registos da 2 circular que tanto nos congratulamos de acontecerem, onde nos aproveitamos para marcar a diferença...
Enfim nao se muda de clube por uma derrota, mas é uma ferida funda que se abre ao nos exibirmos desta maneira...

Dragaoatento disse...

Olá Amigos tal como eu portistas de coração!
Que tristeza! Que decepção! E prometeu Jesualdo uma boa exibição da equipa para brindar os sócios e adeptos do FCP!
Estou revoltado! Como foi isto possível?!
Convido o pessoal para tomar conhecimento do meu comentário/crítica ao jogo no meu Blog http://www.dragaoatento.blogspot.com

dragao vila pouca disse...

Inaceitável e muito abaixo dos mínimos exigíveis.
Acredito que serviu de lição e não volta a acontecer.
Um abraço

Anónimo disse...

Ficaram admirados???

Habituem-se!

Em ano de TRI! Não é de espantar!!

Anónimo disse...

Aprendi muito