19 de fevereiro de 2008

Pólvora seca..

LIGA DOS CAMPEÕES - OITAVOS-DE-FINAL

SCHALKE 04, 1 -FC PORTO, 0

Veltins Arena, em Gelsenkirchen
Hora: 19:45
Árbitro: Laurent Duhamel (França)

SCHALKE 04:Neuer; Rafinha, Bordon, Krstajic e Westermann; Fabian Ernst, Jones, Rakitic e Kobiashvili; Kuranyi e Asamoah.
Suplentes: Schober, Howedes, Varela, Grossmuller, Lovenkrands, Halil Altintop e Vicente Sanchez
Treinador: Mirko Slomka

FC PORTO:Helton; João Paulo, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Fucile; Paulo Assunção, Lucho González e Raul Meireles; Lisandro López, Farías e Quaresma
Suplentes: Nuno, Stepanov, Cech, Hélder Barbosa, Kazmierczak, Tarik Sektioui e Mariano Gonzalez
Treinador: Jesualdo Ferreira

Um imenso sabor a...frustração. É isso que fica desta 1ª mão dos oitavos de final da Champions. Um golo madrugador de Kuranyi, brasileiro de nascimento, alemão de adopção, ditou a sorte do jogo e, quem sabe, da própria eliminatória. Pessimista, eu?

Não, mas como já afirmei neste espaço, também não sou um optimista de cabeça oca. Sabia do potencial adversário, da garra teutónica, da classe dos influentes Rafinha e Rakitic. Nunca embarquei numa onda de euforia que, desde o sorteio, considerava um mero cumprimento do calendário a ronda com os gêrmanicos sedeados em Gelsenkirchen.

A eliminatória, previsivelmente equilibrada, não mostrou a propalada supremacia azul e branca. Um golo inicial que funcionou como um balde de água gelada, arrefecendo ânimos e vontade, mostrou uns alemães mais afoitos e perigosos.

Raramente conseguiu o Porto criar lances de desiquilíbrio, parecendo sempre que a equipa da casa estava mais perto do segundo tento, do que os Dragões de empatarem a contenda. Foi, no entanto, um Porto corajoso aquele que reagiu ao golo sofrido.

Pegou no jogo, procurou dinamizar os lances ofensivos, abrindo espaços ao rápido contra-ataque do Schalke, mas sem conseguir impor a sua mais valia técnica.

A esperança que o intervalo sempre abre num adepto, quando o resultado penalizador nos torna os sonhos mais negros, rapidamente se esfumou numa mão de iniciativas, pulverizadas pela robustez defensiva dos alemães, visivelmente mais preocupados em defender a magra vantagem, do que em ripostarem no campo todo ao domínio portista.

Sem grandes ocasiões de golo, mas procurando por todos os meios anular a desvantagem perigosa, Jesualdo lançou no jogo Tarik, preterindo o argentino Farías, colocando os Dragões no esquema mais habitual esta temporada. E a equipa, claramente sincronizada no modelo de jogo, empurrou notoriamente o Schalke para junto das suas redes, ameaçando por Lucho e Meireles um empate que seria justo e saboroso...

E ele esteve quase a acontecer, num daqueles falahnços que nos levam a nós, aficionados, ao desespero. Jogada de entendimento entre Lucho, omnipresente, e Quaresma, a que só faltou o habitual "killer instinct" de Lisandro. A melhor oportunidade do Porto, em toda a partida, falhada clamorosamente...

O técnico portista ainda tentou, no forcing final, o tudo por tudo, trocando Fucile por Mariano, mas os Dragões esbarraram sempre na sólida e coesa defensiva alemã.

Tudo em aberto para daqui a 15 dias, num Estádio do Dragão repleto, mas com um resultado algo ingrato para uma reviravolta. O Porto precisará de ser extremamente paciente, para conseguir marcar os dois golos que nos separam da felicidade, sem sofrer nenhum...

Soube-me a pouco. A muito pouco.

ps: Logo do jogo subtilmente raptado do blog Portistas de Bancada.

5 comentários:

Anónimo disse...

jogamos pouco, mas ainda é possivel não duvido...
Amorim

BRUNO ROCHA disse...

Ouvi os minutos iniciais via radio e quando com pouco mais de 5m ja perdiamos sem ter-mos passado a linha divisoria da intermediaria temi o pior...
1-0 é dos piores resultados em eliminatorias sobretudo com equipas fortes em ataque rapido como estes carvoeiros do S04, enfim nao tera sido por J.paulo que perdemos mas a verdade é que fucile na esquerda fez um inicio arrepiante de jogo e foi pelo seu flanco que as coisas se comecaram a esbater..
Segundo comentarios que ouvi podiam ter sido mais com Helton a cotar-se em bom plano , aki ali o Porto deu um ar da sua graça mas na europa continua a ser pouco evidente o nosso futebol ao contrario da mentalidade e expressao do futebol demonstrado intra muros..Fica a ideia que é possivel recuperar mas foi mau nao ter-mos marcado fora..

Amigo Paulo eu acredito que sim e por isso arranja os bilhetes porque todos seremos poucos ajudar a chegar aos 4ºs final
Allez

dragao vila pouca disse...

Sempre que o homem sonha...nós sonhamos,que ninguém nos tire esse direito, mas, esta equipa não tem nada a ver com a que foi campeã europeia em 2004, treinador e
o "génio" Quaresma, incluidos.Vai ser muito difícil, mas um grande Porto, o de ontem mesmo na segunda-parte, não chega, pode passar.
Um acredito

Dragaopentacampeao disse...

No Dragão vai ser necessário o máximo de concentração e eficácia porque os alemães vão fazer um jogo de contenção e de exploração do contra-ataque.

Eu acredito na capacidade da equipa para virar a sorte da eliminatória.

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo Pereira :

A ti , ainda vá... que te soube a pouco , porque a mim não me soube a nada !



Mas tenho fé !

Um abraço