23 de fevereiro de 2008

Paços de Tango

LIGA - 20.ª JORNADA
Estádio do Dragão, no Porto
Hora: 20.15
Árbitro: Paulo Costa (Porto)
PORTO, 3 - PAÇOS de FERREIRA, 0

FC PORTO:Helton; Bosingwa, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Cech; Paulo Assunção, Lucho González e Raul Meireles; Tarik, Farías e Lisandro
Suplentes:Nuno, Fucile, João Paulo, Kazmierczak, Mariano, Hélder Barbosa e Adriano
Treinador: Jesualdo Ferreira

A "massa assobiativa" que, durante alguns momentos da 1ª parte, participou na sinfonia do apito, acabou rendida à beleza dos paços de tango, com os intérpretes oriundos das pampas argentinas a interpretarem da melhor forma o recital.

Não foi, e julgo que ninguém estaria à espera disso, um jogo fácil, sobretudo durante a primeira metade. Os comandados de José Mota tiveram carácter. Carácter e personalidade. E numa equipa de futebol isso costuma vir de braço dado com empenho. Os "castores" procuraram fazer aquilo que já se conhece [e aplaude] na equipa. Jogar o jogo pelo jogo. De forma desinibida. A postura pacense provocou dificuldades acrescidas aos comandados do "mestre" Jesualdo.

Elucido desde já que o "mestre" em questão foi extemporâneamente usado por Pinto da Costa, na entrevista dada à SIC. Reconheço alguma sapiência ao actual treinador dos azuis e brancos, mas parece-me prematuro [e algo infeliz] equipará-lo a alguns notáveis que já passaram por aquele lugar.

O Porto de hoje, orfão de Quaresma e da sua "gipsy magic", jogou no modelo preconizado, com Tarik a readquirir a titularidade perdida por alturas da CAN. Farías, com algum fulgor desaparecido nas duas partidas anteriores, ocupava o espaço na área destinado aos homens-golo. No outro extremo, um nome que provoca arrepios de medo aos opositores: Lisandro Lopez.

O jogo, animado pela referida réplica dos "castores", mostrou um sinal mais inicial dos forasteiros, nada constrangidos na hora de visarem a baliza de Helton. Wesley, provavelmente o melhor jogador do Paços, procurava amiúde o remate, mostrando facilidade e espontaneidade na hora de chutar o couro.

Os Dragões, rápidos mas pouco esclarecidos, viviam dos esticões de Bosingwa, com o lateral-direito portista a não parecer nada afectado pelo tempo de paragem, e dos sprints diabólicos do marroquino que caiu literalmente no goto dos adeptos.

Se uns, com a arrogância costumeira, prometem "continuar a surpreender muita gente", o Porto continua a...não surpreender ninguém. Classe com fartura, qualidade a rodos e uma postura pragmática ajudam, e de que maneira, a vencer jogos.

O primeiro sinal de perigo dos homens da casa foi dado por Farías. Esbarrou na trave. Ingloriamente, o avançado argentino via o seu belo trabalho aniquilado na madeira da baliza de Peçanha.

Não entrou essa, nem a seguinte. Fabuloso trabalho de Lisandro, oferecendo a bola redondinha a Farías, mas o remate deste a encontrar a oposição, numa zona privilegiada, da defensiva contrária.

Adivinhava-se o golo. Não o anulado a Farías, por pretenso fora-de-jogo, mas um regular. Cirúrgico, Lisandro escolheu a mesma altura com que tinha visado com êxito a baliza dos madeirenses, na pretéria jornada: minuto 44'. Letal e psicológicamente importante, num tónico reconfortante antes do descanso.

Passe milimétrico de Lucho [mais uma sólida exibição para o currículo] e o argentino a não perdoar.

A segunda parte foi quase um passeio. Um Porto mandão, nada benevolente, procurando desde o apito para o reatamento resolver cedo a questão dos 3 pontos. Lisandro ameaçou, com a bola a esbarrar no poste, mas redimiu-se de seguida, noutra bela iniciativa atacante dos Dragões, com Farías a assistir na perfeição o compatriota. Segundo da noite e um ponto final na discussão do resultado.

Seguiu-se o período de descompressão. Deu para tudo. A "standing ovation" ao goleador-mor, substituído por Helder Barbosa. Para uma mão cheia de oportunidades desperdiçadas [destaque para o míssil teleguiado saído dos pés de Paulo Assunção] e, pasme-se, para o 3º da noite, também com sotaque argentino.

Mariano Gonzalez estreia-se a marcar, com o emblema mítico do Porto, noutro lançamento sobrenatural de Lucho. Impressionante a regularidade do patrão do meio-campo portista, palmilhando o campo com uma leveza impressionante, praticamente omnipresente em todas as situações.

Venha o próximo!

10 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

Gostei do jogo.

Acho que o F.C.PORTO , globalmente , esteve bem.

Os "castores" vinham com ideias...
que o F.C.PORTO , pacientemente , cerceou .

Venha o próximo !

dragao vila pouca disse...

Depois de uma meia-hora tremida a fazer lembrar tempos do Prof.agora "mestre", arrancamos para uma bela exibição a justificar um resultado muito mais dilatado.Depois de ouvir o treinador do paços a culpar o árbitro pela derrota, ainda fiquei com mais pena.Quanto ao "mestre"?,parece que já pegou de estaca,mas, não significa nada.
Um abraço

Anónimo disse...

"Mais uma semana sem esperanças...". Ao menos o Porto devia ser o ultimo a jogar...para dar mais emoçao (partindo do principio que os outros ganhavam...)

Campeões F.C.Porto disse...

Força Porto!!!

Nicolau d'Almeida disse...

Está cumprido mais um passo rumo ao Tri. No princípio do jogo talvez tenha pesado a derrota de Gelsenkirchen, mas a exibição foi globalmente boa. Ganhámos com todo o merecimento e ainda fomos perdulários.

Cumprimentos.

www.guardiaodainvicta.blogspot.com

Anónimo disse...

força Porto toda a gente conta contigo!!!

Estámos muito perto...

Dragaopentacampeao disse...

Segunda parte de luxo desbaratou eventuais esperanças pacenses, que por pouco não saíam do Dragão de saco cheio.

Só espero que o jogo contra o Schalke tenha um resultado idêntico.

Bruno Pinto disse...

Bom jogo do FC Porto que venceu com toda a naturalidade do mundo. Foram 3, podiam ter sido 6, enfim, nada a dizer. Mais uma espectacular actuação de Lisandro, bem secundada pelos passes soberbos de Lucho. Saúde-se também a estreia a marcar desse azarado Mariano González. Esperemos que o seu rendimento comece agora a subir. seria bom para ele e para o clube.

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :

Eles , hoje , deram-nos uma meia alegria!

Um abraço

Campeões F.C.Porto disse...

O F.C.Porto dás-nos muita alegria!

Força Porto!!!