15 de fevereiro de 2008

Com classe

BWIN LIGA - 19.ª JORNADA

MARÍTIMO, 0 - FC PORTO, 3
marcadores: 0-1, Lisandro; 0-2, Tarik; 0-3, Lisandro

Estádio dos Barreiros, no Funchal
Hora: 20:30
Árbitro: Pedro Henriques (Lisboa)

FC PORTO:Helton; Fucile, Pedro Emanuel, Bruno Alves e Cech; Paulo Assunção, Lucho González e Raul Meireles; Lisandro López, Farías e Quaresma

Suplentes: Nuno, Stepanov, João Paulo, Lino, Kazmierczak, Tarik Sektioui e Mariano González

Treinador: Jesualdo Ferreira


Eu, que não sou nem um pessimista inveterado nem um optimista nato, tive uma premonição. De vitória. A sério. Televisores lado a lado dão nisto. Num as imagens vinham dos Barreiros. Do outro, o programa sintonizado era o "Quem quer ser milionário", concurso de perguntas/respostas seguido avidamente pela minha esposa.

E, apesar do grau de concentração no jogo, uma das perguntas iniciais ao concorrente do momento chamou-me de imediato a atenção.

"Quem foi a equipa que conquistou o hexacampeonato em 2006/07, na modalidae de hóquei e patins?". Parecia fácil, não parecia?

O concorrente, com o seu melhor ar intelectual, começa a dissertar, mais ou menos nestes termos:
"Sinceramente, não acompanho a modalidade. Sou só adepto de futebol. Mas acho que foi a minha equipa."

Arqueei as sobrancelhas, criando logo um laço de empatia com o indivíduo. Até que...

Após questionado pelo apresentador sobre a sua preferência clubista, ele sai-se com um arrogante "Benfica, claro".

A partir daí comecei a rezar. Baixinho, mas fervorosamente. Ele que escolhesse o clube dele então, como resposta à pergunta. E ele fez-me a vontade. Escolheu o Benfica. Soltei uma gargalhada com prazer. Mais um que, enquanto durar a sua existência miserável nesta vida, nos vai odiar eternamente.

Posto isto, que só podia ser um sinal divino, vamos lá ao que interessa...

Ao jogo.E não foi nada fácil. Nada mesmo. Mas isso já era esperado. No feudo de Alberto João, o Porto costuma encontrar uns escolhos de difícil trato. Hoje, o Marítimo não fugiu à regra. Foi um adversário complicado, raçudo, disposto a dificultar ao máximo a tarefa dos Dragões, neste regresso à ilha do Atlântico, após a derrota fente ao Nacional. Coincidentemente ou talvez não, fazendo recordar o discurso de Jesualdo antes do jogo, o árbitro do encontro foi o mesmo. Desta feita com reforços. Um dos seus fiscais de linha foi aquele que vislumbrou a pretensa mão na Amadora, nos descontos, no jogo da Taça da Liga, que permitiu aos encarnados salvarem-se de uma eliminação precoce...

O jogo, algo sensaborão, foi demasiado disputado sobre o meio-campo, sem grande supremacia de parte a parte. O Porto, algo lento na circulação de bola e sem grandes rasgos atacantes, era uma presa fácil para os defensores insulares, atentos a eventuais diatribes de Quaresma e Cª...

E assim, paulatinamente, os minutos foram decorrendo, com alguns sobressaltos na área azul e branca, quase todos na sequência de lances de bola parada. Várias oportunidades de remate para os visitados, que felizmente foram incapazes de visarem com êxito as redes da baliza à guarda de Helton.

Tirando o lance que refiro mais abaixo, no momento "déja vu" do jogo, o Porto voltou a criar perigo mesmo à beirinha do intervalo. De forma letal. Cirúrgico, Lisandro foi o mentor de um golo pleno de oportunidade, criando e inventando um lance de perigo numa bola perdida na área. Mostrando que continua "on fire", o argentino fez sorrir o treinador e os adeptos do clube, num bailado que teve tanto de belo como de precioso.

A segunda metade inicia-se com novo valente susto para o guarda-redes brasileiro do FCP, num remate traiçoeiro que quase restabelecia a igualdade. Foi o canto do cisne do Marítimo.

O Porto, finalmente, começou a funcionar como um rolo compressor, criando várias ocasiões de golo, ingloriamente desperdiçadas. Tudo ficou mais fácil após a infantilidade de Djalma, colocando a mão na bola, já com um cartão amarelo no currículo. Demasiado evidente para Pedro Henriques contemporizar. Reduzido a 10, os insulares tornaram-se uma presa fácil para os esfaimados portistas.

Foi sem surpresa para ninguém que o Porto chegou ao segundo tento. Tarik, preterido no onze inicial, entra aos 66' para o lugar de Farías e, logo depois, aproveita uma bola solta na área para finalizar com sucesso. O lance, que Pedro Henriques deixou seguir, mostrou novamente à evidência a dificuldade crescente que os juízes têm de apitar um penalty a favor dos azuis e brancos. Lisandro é literalmente atropelado na área.

Como as palavras contenção e descanso não fazem parte do vocábulo de Lisandro, a autoria do 3º golo foi sua. Uma jogade de envolvimento, uma passe açucarado e...bola na rede.

Estava feito, de forma mais fácil do que aquela que se antevia antes e mesmo durante o jogo. Bela e importante vitória, ultrapassando um osso duro de roer na corrida rumo ao TRI, obtendo também um tónico revigorante a nível psicológico, antes da deslocação a essa terra mítica: GELSENKIRCHEN!

Momento "déja vu" do jogo:

Mais um motivo para sorrir, encolher os ombros e exclamar "esta malta não tem emenda". Não tem mesmo. Record online, no acompanhamento do jogo. Atentem nesta pérola:

"43' - Farías tenta ganhar um penálti "fantasma" numa disputa com Djalma, mas não convence Pedro Henrique, que estava muito perto do lance. "

Gostei da utilização do termo fantasma. Como se o penalty, de tão evidente, não tivesse existido. Pedro Henriques no seu melhor, aconpanhado pelo exemplo de jornalismo que por cá vamos tendo...

5 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Porto seguro !

dragao vila pouca disse...

Ao ouvir os comentários no final do jogo até parece que o F.C.Porto ganhou por causa do árbitro?!...que tristeza!O meu prémio kompensan da época passada, P.Sousa da R.R.Lisboa, já começou a pedir sumaríssimo para o Lisandro.Tanta azia meu Deus!
Um abraço

RCBC disse...

Caro colega,

Parabéns pelo magnifico post!Também vi a tal pergunta do "Quem quer ser milionário" e a respectiva resposta...só te digo uma coisa, quem responde daquela maneira a uma pergunta tão fácil como aquela só pode ter problemas mentais....até uma criança de 2 anos saberia a resposta àquela pergunta!!!!!!!!!!!!
Quanto ao jogo, esmagador mesmo a superioridade portista....uma vitória sem espinhas!

ABRAÇO
RCBC

Paulo Pereira disse...

Olá RCBC, sejas bem aparecido:)

Tens toda a razão. Quem falha, daquela forma clamoosa, uma pergunta tão fácil, só poderá ter sérios problemas mentais...

O mais espantoso no palerma em questão, foi a petulância do comentário: "provavelmente foi o meu clube!". Como se o clube dele lhe desse tantas alegrias assim, em qualquer modalidade...

O homem, pelos vistos, parou no tempo. Deve pensar ainda k vive na década de 60, do século passado.

Abraço,

Dragão Azul disse...

Bom Post, ainda me estou a rir do gajo que respondeu a essa pergunta, mas nada que não acho normal... o pograma chama-se "Quem quer ser milionário", logo quem responde assim nunca chegara lá e acabou por ser humilhado quer dentro do ringue, quer num pograma televisivo que deve de ter uma boa audiencia...

Sobre o jogo, enquanto uns discutem o sexo dos anjos (penaltis e cartões) nós vamos continuar a ganhar os jogos rumo ao TRI quer no campeonato quer na L. dos Campeões.

Em relação ao "fantasma" devem de ser cegos ou ou andam a ver muitos jogos do benfica o que é normal - P A L H AÇ O S.