19 de janeiro de 2008

Dever cumprido


Taça de Portugal - 5.ª eliminatória
Estádio do Dragão, Porto
Hora: 18:30

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
FC PORTO, 2-DESP. AVES, 0

FC PORTO: Nuno; Fucile, João Paulo, Stepanov e Lino; Bolatti, Lucho e Kazmierczak; Mariano González, Adriano e Farías

Suplentes:Ventura, Pedro Emanuel, Cech, Castro, Raul Meireles, Quaresma e Lisandro López

Treinador: Jesualdo Ferreira

É dífícil escrever sobre um jogo em que apenas se sabe o resultado, dado que o mesmo não foi visto, ouvido ou lido. Não deverá ter sido brilhante a exibição portista, mas também ninguém esperaria um recital de gala nesta eliminatória da Taça.

Jesualdo tinha alertado anteriormente que iria efectuar poupanças, numa evidente prova de confiança no plantel que tem à sua disposição. Aparentemente esquecido das aguras provocadas pelo Atlético, no Dragão, sensivelmente à um ano atrás, o treinador portista aproveitou a soberana ocasião para descansar algumas pedras fundamentais no percurso quase imaculado dos azuis e brancos na temporada já decorrida.

Com uma defesa totalmente remodelada, a recepção ao Aves, emblema curiosamente umbilicalmente ligado ao primeiro título da era Jesualdo, pois foram eles os opositores na última jornada da pretérica época, antevia-se com alguns escolhos pelo caminho.

Farías, o argentino que aterrou no Porto com uma aura de goleador temível na bagagem, mas que pouco tem mostrado, ficou encarregue de ser o aríete para derrubar a equipa oriunda do escalão inferior. Galvanizado pelos parcos 9 minutos jogados frente ao Braga, mas onde a sua produtividade foi inversamente proporcional ao tempo jogado, foi dele o tento inaugural, cabeceando da melhor forma um live cobrado por Lino.

Já nos descontos, Quaresma, entrado na 2ª parte, culminou um contra-ataque e acabou com as pretensas veleidades do Aves. O Porto segue em frente, aparentemente sem grandes sobressaltos, continuando à procura da dobradinha em território nacional.

Venha o próximo!

3 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

A crer no relato da RR o prometido FARIAS ...já faz !

joao sampaio disse...

FARIAS...como sempre disse este jogador precisava de tempo e de oportunidades para render sem duvida que e muito melhor jogador do que o adriano que se revela muito trapalhao e complicativo em campo,este farias tem que ser titular na equipa do porto,espero que joge em alvalade e facture,TRIO DE LUXO,QUARESMA,LISANDRO "EL TECLA" FARIAS!!!rumo ao tri

Dragaopentacampeao disse...

Eu estive no Dragão e o que vi não me deixou de todo satisfeito.

Tendo em conta o valor do adversário era suposto que mesmo a segunda equipa tivesse um comportamento mais condizente com o prestigio do nosso clube e até com a categoria dos atletas em campo.

A primeira meia hora foi um completo deserto de ideias a que só Lucho e Farías escapavam.

Depois do golo os jogadores espevitaram e imprimiram outro ritmo.

Contudo, alguns mantiveram uma bitola demasiado fraca para aspirarem a continuar a vestir as cores bicampeãs.

A defesa não foi submetida a grande trabalho pelo que as exibições dos seus elementos tem mais a ver com o apoio que deram aos sectores mais adiantados. Os laterais Fucile e Lino sobressaíram em relação aos outros, mais o uruguaio que o brasileiro.

No meio campo Kaz foi um náufrago e Lucho o comandante. Bolatti teve alguns bons apontamentos mas está preso de movimentos.

Na frente Adriano lutou mas não ganhou lances que tem de ganhar. Muito fraco. Mariano voltou a manifestar os problemas do costume e Farías prometeu muito para o futuro.

Em conclusão, o FC Porto cumpriu a obrigação num jogo muito pouco vistoso.

Um abraço