1 de dezembro de 2007

Luz da Estrela Guia!...na Dinastia Azul.

Mal refeitos da hecatombe, aturdidos ainda com o desfecho de Anfield Road para a Champions, já o calendário Azul nos confronta com ancestrais rivais e de cores idênticas. Apostado nas sapientes máximas do desporto do povo, de que cada jogo é um jogo e as ambiências das diferentes competições ditam resultados e emoções díspares.

É baseado nestas premissas que vejo o desafio na catedral das promessas, com a alma renovada…Os apenas 4 pontos que nos separam positivamente dos demais perseguidores, não são margem confortável?!?!?.

Depois de apanhados na tempestade “El Niño” Torres, que varreu inapelavelmente o bloco defensivo portista, aguardo pela bonança e o regresso de um último reduto coriáceo. Abalados ou não na confiança, há que valorizar o que de bom temos feito até aqui. Jesualdo fala da obrigatoriedade de fazer um bom jogo, eu diria imperativo mostrar na Capital de que fibra é feito este Dragão. Fico sempre apreensivo com o despertar das mentes, impelidas pelo técnico Azul e branco, pois como já por mais de uma vez referenciei este é pouco consentâneo no que toca a passar das palavras aos actos.

Do Porto espero que o facto, ser dono e senhor do seu próprio destino, não seja inibidor das qualidades já demonstradas esta época, que embrenhados no sentimento que um qualquer desaire não conferir ao adversário a liderança, seja justificativo de alguma pobre e pouco condizente exibição. Encerro dentro de mim a secreta esperança que desta feita o Mister dos Dragões faça subir ao relvado do galinheiro um onze de cara lavada, onde não haja espaço para o fetiche Mariano Gonzalez ou para excessivos cuidados e/ou zelo pelo poderio rival, abrindo deste modo espaço a entrada de jogadores constritores da veia ofensiva que pulsa no coração do futebol Azul.

Algo que não podemos sonegar é a importância do desafio para ambos os conjuntos, e apesar de não conferir o título ditará a inversão na ordem das coisas…uma vitória encarnada reforça os índices de confiança e 6 partidas consecutivas sem conhecer o amargo da perda de pontos, conferindo aproximação perigosa ao líder, ao invés um vitória do Dragão em palco tão hostil, alberga o conforto de nos consagrar Campeões de Inverno, e sabem os mais entendidos na matéria como raras vezes o vencedor difere no final, ainda mais quando o Natal se veste de Azul.

Respeitante aos aspectos tácticos e técnicos, não espero um grande Clássico, aliás é pródigo o futebol luso em apresentar horribilis espectáculos, viris sim, quentinhos nas bancadas também, capazes de fazer correr muita tinta nos pasquim isso então nem se fala, mas no que toca a bom futebol escasseiam na história. Ainda assim e como mote e que sirva para espicaçar o Dragão, não me importava de ver repetidos os 5-0 sob a égide de António Oliveira ou o futebol apresentado nas 1ªs partes dos jogos com Fernandez e mesmo com Jesualdo só para falar nalguns mais recentes e presentes na minha memória.

Talvez a pensar nisso saúdo o regresso aos convocados de L.Lima, afastado das convocatórias desde o empate frente aos do Restelo, realçando o facto de, e apesar de contarmos com médios de propensão ofensiva, apenas figurarem nos eleitos 2 avançados.

Como últimas notas deixo aquela que em meu ver será a formação escalonada para o embate com os galináceos: Helton, Bosingwa, P.Emanuel, B.Alves, Fucile, P. Assunção, R.Meireles, Lucho, Tarik, Lisandro e Quaresma…sendo que as experiencias tenham ainda lugar para mais aparições, é importante proteger Stepanov sem desacreditar o rapaz que ainda nos vai dar alegrias, os 3 pontos serão um bálsamo importante no curar de pretensas feridas abertas para lá do túnel da mancha, cientes de todos os imponderáveis de todos os riscos e dificuldades, o que quero mesmo é um FCPorto sagaz, audaz e capaz de Ganhar

Acredito que não faltará ambição para me concretizarem tais intentos. Por esse País fora 1º Dezembro é dia de muitos lares dedicarem tempo à elaboração do pinheiro de natal, pois bem talvez aguarde mais uns dias para edificar a minha lá por casa com o intuito de no cimo da mesma uma estrela “guia” de Azul bem mais forte. Também amanhã se assinala o expulsar do reinado Filipino por terras Lusas, 3 foram os Filipes regentes, por curiosidade 3 são as derrotas no confronto pessoal entre o Espanhol Camacho e o Prof. Jesualdo, não haja espaço na história para um(a) 4, pois então.

2 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Paulo :


Estava a ver que querias aproveitar a data histórica para correres com outro Filipe .

Afinal, não foi o caso .
E ainda bem !
Porque pior que os Filipes ...
são os Miguéis !

Anónimo disse...

Rio ataca as polícias

O presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, disse, ontem, não compreender como se perde tempo com processos "menores", como o Apito Dourado, e não se resolvem os casos de violência na noite. Numa dura crítica à actuação das autoridades, à margem da reunião da Junta Metropolitana do Porto, o autarca afirmou "Só os vejo preocupados com coisas menores. Em vez de gastarem milhares de páginas em processos como o Apito Dourado poderiam perder alguma energia com estes casos, os que lhes conferiam mais credibilidade". Considerando que o que está em causa é "criminalidade organizada" que pode acontecer em qualquer outra cidade, Rui Rio não se conforma, porém, com a "incapacidade que as polícias têm demonstrado para responder a estes crimes