7 de agosto de 2007

Sempre a arbitragem

Ainda sobre o artigo que publiquei ontem, acerca das críticas precoces de Filipe Soares Franco sobre a arbitragem do Benfica-Sporting, escreve hoje, no "Jogo", Jorge Maia sobre o mesmo assunto:

PREVENÇÃO

"Isto começa cedo e começa mal. Os jogos ainda nem sequer contam para competições oficiais e já há quem sacuda de cima dos ombros para cima dos árbitros a responsabilidade pelos maus resultados. É um mau começo, por mais do que um motivo, e demonstra até que ponto os velhos hábitos são os mais difíceis de largar, até por quem costuma reclamar para si próprio o mérito de uma nova postura de credibilidade e responsabilidade entre os dirigentes desportivos. De que forma, por exemplo, é que as críticas de Soares Franco a Pedro Henriques no final do último jogo do Torneio do Guadiana contribuem para a credibilidade do futebol de uma forma responsável? Nenhuma. Pedro Henriques cometeu erros? É provável. Afinal, também ele está na pré-temporada, aquela fase da temporada em que os erros, ao contrário dos maus hábitos, ainda podem ser corrigidos. Aquilo que as críticas de Soares Franco já terão conseguido foi condicionar as escolhas do Conselho de Arbitragem da Federação para o jogo da Supertaça, com Pedro Henriques, um dos melhores da última temporada, a ser certamente riscado da lista de opções. Com um pouco de sorte, terão até conseguido condicionar o trabalho do árbitro – Pedro Henriques não será - que vai apitar o jogo entre o FC Porto e o Sporting. Mas aquilo que conseguiram, sem sombra de dúvidas, foi deitar por terra todo o esforço de credibilização da arbitragem realizado pela Liga ao longo dos últimos meses. Pelo caminho, o presidente do Sporting passou o anual atestado de irresponsabilidade aos seus jogadores. Se perderem, não foi porque correram menos, quiseram menos, jogaram menos que o adversário. Nada disso, a culpa foi do árbitro".

Mas o jornalista não se fica por aqui. Disseca também os problemas que a comitiva portista teve, para (finalmente) conseguir chegar à Invicta, após uma longa e atribulada viagem, num serviço que, atendendo aos pormenores, só pode ser considerado de "1ª" classe...

TAPVergonha

"A forma como a TAP tratou os passageiros que tinham como destino o Aeroporto Sá Carneiro provenientes de Amesterdão durante o dia de ontem foi uma vergonha. O facto do FC Porto ter sido vítima desse tratamento, apenas torna essa vergonha num caso público e notória, quando muitas vezes deve passar despercebido. Atrasos sem explicações, desvios sem contemplações e transferências sem critério absolutamente nenhum não podem ser aceitáveis numa companhia aérea pública de um país civilizado. E depois, aquele Terminal 2 só pode servir para torturar os passageiros dos vôos internos. Uma forma retorcida de dizer que a Ota é mesmo muito necessária."

Mais não fosse, pelo menos este vôo rocambolesco serviu para uma coisa: a "Bola" dar-nos a primeira página. Quanta honra, meu Deus! Qual vitória em Atalanta, qual vitória em Roterdão. O importante mesmo é estarmos metidos em confusões. Aí, é certinho que as parangonas e demais exposição mediática nos serão dedicadas. Da minha parte, um grande Obrigado!

8 comentários:

tiago pimentel disse...

É como tu dizes, Paulo. Haja confusão, e as páginas da Bola são nossas. Uma honra que nem a nossa vitória na Intercontinental mereceu. Alguém me explica racionalmente estes critérios jornalisticos?

Um abraço,

tbz disse...

A explicação é só uma: condicionar, desde já, o árbitro da Supertaça. Só assim se compreende as criticas à arbitragem num jogo a feijões. Aliás, quer-me parecer que isto é uma estratégia concertada, cozinhada por ambos os presidentes dos clubes de Lisboa. Passaram o jogo todo a tagarelar, a tirarem fotografias juntos e depois, o Franco sai-se com esta?
Humm, cheira-me a esturro.

Bruno Pinto disse...

Este Jorge Maia é genial! E sobre o Soares Franco, é preciso ser-se muito palhaço para se vir queixar da arbitragem nesta altura, e num jogo particular. Alguém duvida que tudo foi feito a pensar na Supertaça? Para atingir o Benfica é que não foi, eles até estavam tão amiguinhos lado a lado...

Um abraço Paulo

lucho disse...

E até foi ingrato com o Henriques q lhe tinha dado uma ajudinha no FCP-SCP da época q terminou.
Abraço, Paulo.

Anónimo disse...

http://www.voteyourteam.com/

Vamos elevar o nome do nosso Grande FC PORTO.

Votem agora, e 1 hora depois podem voltar a votar.

Anónimo disse...

TAP= Temos Aversão ao Porto!

Por mim, eles é que fizeram a escolha. Preferiram privilegiar uma rota Paris/Londres, em detrimento de um cliente antigo. Comercialmente, é um mau negócio. Companhias de qualidade não devem faltar. É mandá-los pastar!

Anónimo disse...

À semelhança do que fizeram com o CCB, também poderiam oferecer a TAP ao Joe Berardo e arranjar lá um lugarzito para MJM como comissária e já agora o fiscalista do Vieira a controlar as contas, isso é que era.

portista mor disse...

Em relação à TAP (Take Another Plane), acho mesmo vergonhoso, o que se passou! Escumalha, é mesmo o termo certo! Se acontecesse com uma equipa da capital do império falido ser desviada para o Porto, caía o Carmo e a Trindade!! Enfim, pelo menos o FCP não volta a andar naquela companhia. Palhaçada!!!
Já na parte do Lucho, a aquisição do passe dele é uma grande notícia!
Espectacular! Felizmente nosso El Comandante vai ficar no Porto!
Graças ao seu nível, eu gostava que o Lucho terminasse a carreira no Porto. É GRANDE!!!