10 de julho de 2007

Pepe, el central perfecto!

Não sei se ria se chore, com a venda de mais um dos intocáveis do plantel. Procurando ser realista, atendendo aos números envolvidos, seria difícil ao Porto não ceder a tanto dinheiro. É, sem dúvida, mais uma venda só alcançável, cá no burgo, pelo Porto. Ponto prévio e que não merece a mínima discussão. Os outros bem que tentam impingir centrais, médios ou extremos e ninguem lhes pega. Mas, com o mal dos outros posso eu bem e, confesso, a perda de Pepe, pese o dinheiro envolvido, parece-me dificíl de ser colmatada. Podia munir-me de números e estatísticas, para destacar a importância crescente do brasileiro na equipa portista, mas basta ver como a "Marca", jornal espanhol tido como próximo dos merengues, se refere à nova contratação do Real Madrid: "Pepe, el central perfecto"!
E não é exagero. Pela idade, Pepe é um jogador próximo da perfeição. Jogo aéreo imperial, velocidade acima da média, sentido posicional que lhe permite a antecipação de 99% dos lances, foi um dos esteios da defesa portista nos dois últimos títulos nacionais. Sofreu uma transformação quase metafórica, ao nível do patinho feio. Vaiado em alguns jogos, aquando da sua vinda do Funchal, Pepe evoluiu naturalmente, deixando a imagem de central trapalhão de lado, operando a metamorfose em cisne.

O Porto enche os cofres, com mais uma venda milionária, mas perde um jogador de inegável categoria. Se a nível interno a competitividade do plantel me parece assegurada, o busílis da venda reside naquilo que se pretende, não só para esta época, mas para um futuro próximo na Europa. Não é utopia, parece-me, exigir um Porto ao nível das equipas de um passado recente, não me referindo apenas aos títulos alcançados por Artur Jorge, Ivic e Mourinho. Um Porto competitivo é o que se quer. Capaz de ombrear, pese a disparidade de orçamentos, com os colossos europeus. E isso, quer-me parecer, tornou-se indubitavelmente muito mais difícil, com as saídas de Anderson e Pepe.

ps: Respondendo ao que se pretende. Sim, concordo com a venda do central, apesar de tudo. Um ordenado chorudo, quase principesco, inalcançável pelo jogador em Portugal, seria motivo mais do que suficiente para uma época deficitária, caso a transferência não fosse concretizada por intransigência do Porto. Quero, e penso que isto será unânime na família portista, que a maior parte desse dinheiro sirva para amortizar o passivo do clube, felizmente não tão monstruoso como o dos clubes de Lisboa.

7 comentários:

tiago pimentel disse...

Conheço pelo menos um clube que tenta vender, sem sucesso, à dois anos, o pretenso melhor jogador da Liga. Só que, mais uma vez, se vê que a realidade deles é alternativa, desfazada da de todos. Nem 10 milhões oferecem pelo simãozinho. O Porto faz, e concordo contigo, sempre bon negócios. Só esta época, vã 70!!!! milhões de euros alcançados com as vendas. Não era possível segurar Pepe, com uma oferta destas. Aparecesse uma pela metade e Luisão já teria sido despachado. Só que agora o Porto terá que arranjar um substituto para o brasileiro. Por mim, Rolando. Jovem, português, com enorme margem de progressão e não muito caro. É o ideal.

ps: Apareçam no forum do Porto, em www.fcporto.ws/forum e participem nas discussões.

josé santiago disse...

Paulo, para mim, é uma tragédia. Eu sei que podem contestar com o facto de, se o Porto não o endsse, ele ficar cá desmotivado. Sinceramente, não me parece que isso acontecesse. O salto, se não fosse dado este ano, seria no próximo. Pepe era importante no projecto de um Porto europeu. A vender alguém, que fosse Lucho, pois as opções para o meio-campo são mais que muitas. Agora, na defesa, quem temos? Saido Pepe, sobram Bruno Alves, Pedro Emanuel e João Paulo. Recordo que os dois últimos, em especial o Pedro, vêem de lesões traumáticas de grande gravidade, não se sabendo ainda o estado físico deles. E, agora que se aproxima o início da época, é que vamos estar à pesca de mais um central, a pouco mais de um mês da Supertaça? Tenham dó!

tó mané disse...

Impossível resistir. 6 milhões de contos, em moeda antiga, numa venda com a marca de Pinto da Costa. Só nós é que fazemos negócios assim. Concordo com avenda e por mim ia já a seguir Lucho e Quaresma. Com dois ou três reforços baratos, ganhamos novamente o campeonato.

Um abraço

Anónimo disse...

Perda enorme no campo desportivo, sucesso identico no campo financeiro. O Porto optou bem pela venda, mas tem um problema bicudo em mãos: dois centrais a menos, num curto espaço de tempo. E agora, quem será o substituto?
Por mim, aposto num português, de preferencia jovem, com boa margem de progressão.

virus disse...

manuel da costa parece me bem nao sei se holandes aceita ja que ele nao gosta nada do porto
ps: andam ums meninos a dizerem que foi por 12 milhoes e bla bla mas alguem no seu perfeito juizo vai declarar mais lolol
declarar menos va la pode meter ao bolso agora declarar 30 milhoes para receber 12 nao acho muito inteligente

Anónimo disse...

É preferivel vende-los do que a te-los contrariados como na ultima época do maniche e do costinha, eles já num jogavam nem corriam. Agora o Nuno coelho é que havia de ser chamado para a equipa porque foi formado no Porto e é portugues.

Anónimo disse...

É preferivel vende-los do que a te-los contrariados como na ultima época do maniche e do costinha, eles já num jogavam nem corriam. Agora o Nuno coelho é que havia de ser chamado para a equipa porque foi formado no Porto e é portugues.