25 de junho de 2007

E por falar em "fruta"...

“A fruta” e o “cafezinho com leite” entraram no léxico das expressões utilizadas vulgarmente pelos portugueses. O Apito Dourado e essa “justiceira”, armada em paladina da Justiça, transformaram expressões outrora banais em algo mais. E, como quem anda no futebol, seja a dar chutos no esférico, a treinar equipas, a dirigir SAD’s ou simplesmente a apoiar o clube do seu coração, sabe o que significam os códigos latentes nas expressões, convinha não atribuir às escutas, nem a Pinto da Costa, a genialidade da descoberta. Reza então assim a história:


Em 1984, Howard King, árbitro designado pela UEFA para dirigir o Sporting contra o Dínamo de Minsk, foi levado, numa aparente visita de cortesia, pelos dirigentes leoninos a um local onde “se encontravam muitas raparigas, das mais belas e bonitas que eu tinha visto”. O embasbacado árbitro inglês apitou, no dia seguinte, o referido encontro, com vitória leonina por 2-0. Mas não terminaram por aqui as aventuras do súbdito de Sua Majestade em terras lusas. Oito anos depois, novo regresso a Lisboa, desta feita para dirigir um encontro da outra equipa da capital. O Benfica defrontava o Sparta de Praga e Mr. King teve a sua oportunidade de confraternizar com mais uma jovem. Em jeito de bónus (logicamente despretensioso, pois aqueles senhores da Luz são os paladinos da Justiça) recebeu ainda algumas prendas, que o embasbacado árbitro aceitou, vindo posteriormente a comunicá-las à UEFA.


O resultado, como também é bom de ver, foi favorável, em ambas as ocasiões, aos clubes de Lisboa. Pudera, o Mr. King deve ter querido retribuir os favores recebidos por tão distintas donzelas. E é esta gente que fala, fala e torna a falar de credibilidade e transparência?

Vão-se foder!

6 comentários:

Tiago Pimentel disse...

Bela história! E assim se vê que esses aparentes poços de virtude não passam de um amontoado de mentirosos. Meninas contratadas para satisfazer um árbitro num jogom europeu. Já nada me espanta. Depois do Veiga pedir um árbitro para o União...
O que aconteceria se essa gente estivesse sobre escuta?

Bruno Sousa disse...

O que aconteceria, caro Tiago, é que eles, provavelmente, já teriam fugido para um qualquer País sem extradição, tamanhas devem ser as falcatruas feitas. Mas, de uma forma ou de outra, vão-se descobrindo os "podres" destes cabrões.
Continuam, e isso é que é de lamentar, a viver em total impunidade.

Estilhaço disse...

Ó Paulo, não é esta a deixa para o teu amigo, o Sr. Pedro Vagos afirmar, esclarecendo a nossa ignorância:

'Não é muito correcto este procedimento? De facto não, mas era o que se utilizava à data.'

Jorge Almeida disse...

Olha, olha, afinal existem mais alguns adeptos da fruta. É uma maravilha. Cinismo puro, o que esta gentinha usa. Criticam, acham-se os unicos puros, e depois é Calabotes, fruta, etc, etc, etc

Paulo Grave disse...

Pelo k vejo é so uma questão temporal, pois os entendidos em fruta estão mais a sul. É so escandaleiras, e eles ainda não tem vergonha de aparecer me publico. Isso é k me espanta!

Jorge Silva disse...

Descobre-se a careca aos impostores. Demasiados casos, demasiadas fraudes, para serem sequer levados a sério. Mais uma prova de k a justiça está viciada. E assim se foi construindo a grandeza de k eles se orgulham...